Novo Coronavírus

São Paulo Em pandemia, cerca de 700 botijões de gás se esgotam em 2 horas em SP

Em pandemia, cerca de 700 botijões de gás se esgotam em 2 horas em SP

Segundo Sindicato dos Revendedores de SP, não vai faltar gás, mas compradores estão estocando produto nas casas, o que é perigoso

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Setecentos botijões de gás são vendidos em 2 horas na zona leste de SP

Setecentos botijões de gás são vendidos em 2 horas na zona leste de SP

Reprodução / Record TV

O presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás de São Paulo, Rodney Carvalho Ribeiro, afirmou nesta quinta-feira (26) à Record TV que não vai faltar gás durante a pandemia de coronavírus, mas a procura aumentou demais nos últimos dias. "Compradores estão armazenando e quem necessita, de verdade, fica sem, até idosos. Algumas pessoas estão levando até 6 botijões e dizem que é para a família", disse.

Rodney revelou que, na região do Aricanduva, na zona leste da capital, 700 botijões são vendidos em menos de duas horas. "A produção e entrega do gás são diárias. Se aumentar a demanda em 30% tudo bem, mas agora tá muito maior que isso. O consumo tá maior até do que na véspera de Natal, quando são vendidos 2.000 botijões em um dia", contou.

Leia também: Coronavírus: Gestores de escolas públicas de SP querem home office

As centrais que recebem pedidos têm atendido 20.000 ligações, mas a capacidade é de cerca de 2.000 botijões de gás por dia nas revendedoras. "Vão chegar quatro caminhões hoje com mais de 2.000 botijões, se chegassem mais, eu venderia. Nunca vi isso", revelou Rodney.

Veja também: Feira delivery é opção saudável para quem está isolado na quarentena

É importante ressaltar que armazenar botijão em casa é um risco porque pode haver explosão em caso de vazamento de gás.

Últimas