São Paulo Em Parelheiros, sarau reúne trabalho contemporâneo de cinco jovens negras

Em Parelheiros, sarau reúne trabalho contemporâneo de cinco jovens negras

Sarau das Pretas fala sobre o protagonismo da mulher e ancestralidade

O Sarau das Pretas começa às 16h, em Parelheiros, na sexta (7)

O Sarau das Pretas começa às 16h, em Parelheiros, na sexta (7)

Divulgação

Nesta sexta-feira, dia 7, a Associação Cultural e Comunitária Sorriso do Futuro, em Parelheiros, na zona Sul de São Paulo, recebe uma edição especial do Sarau das Pretas, a partir das 16h, com entrada gratuita.

O Sarau das Pretas surgiu, em março deste ano,  no contexto das ações culturais e políticas ligadas ao protagonismo e empoderamento das mulheres em defesa de seus direitos. São cinco jovens mulheres negras atuantes no cenário cultural que revelam, por meio da literatura, da musicalidade, dos tambores e corpos, as realidades de viver o feminino e o feminismo. 

Assim, o Sarau das Pretas é, acima de tudo, um encontro para partilhar a escuta e a palavra, permeado pela busca e valorização da sabedoria ancestral negra.

O coletivo é formado por cinco mulheres poetas negras: Débora Garcia, Elizandra Souza, Jô Freitas e Thata Alves. O espetáculo também conta com a participação do percurssionista Tayssol Ziggy.

A dinâmica das apresentações conta com intervenções de poesia, dança afro e percussão, sendo sempre iniciadas e encerradas com uma intervenção coletiva das artistas.

Ainda de acordo com as criadoras do sarau, as intervenções coletivas ambientam os participantes e são produzidas a partir de manifestações da cultura popular e afro-brasileira, tais como jongo, coco, samba de roda, saudações aos orixás e até mesmo o rap, por ser uma importante manifestação cultural das periferias. A apresentação do Sarau das Pretas em Parelhos faz parte da programação da Caravana Juventude Viva. 

“A proposta do sarau é que haja esse diálogo, escuta, interação e participação do público através do microfone aberto, onde qualquer pessoa pode se manifestar”, destacou Débora Garcia. 

Para Elizandra Souza, esta é uma oportunidade e ampliar o público do Sarau das Pretas. “É assim que acessamos nosso público e declamamos para outras mulheres pretas e periféricas”, disse.

O espetáculo tem uma hora de duração e microfone aberto

O espetáculo tem uma hora de duração e microfone aberto

Divulgação

Até novembro, o Balcão de Direitos Humanos e a Coordenadoria de Políticas para a Juventude da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania promovem a Caravana Juventude Viva, com atividades itinerantes que percorrem diferentes regiões de São Paulo, priorizando as com elevados índices de risco e vulnerabilidade social.

De acordo com a secretaria, a caravana tem o objetivo de prestar orientação à população no que se refere à garantia e violação de direitos, acesso às políticas públicas, proteção e defesa dos direitos da juventude. A Associação Cultural e Comunitária Sorriso do Futuro fica na rua Juritis, 71, Parelheiros.

Últimas