Coronavírus

São Paulo Em SP, evento modelo de economia criativa terá expositores e público

Em SP, evento modelo de economia criativa terá expositores e público

Feira ocorrerá nos dias 21 e 22 de agosto. Objetivo é promover e refinar protocolos para a retomada das atividades com público

  • São Paulo | Rodrigo Martinez, da Agência Record

No memorial da América Latina que sediou drive thrus ocorrerá evento modelo

No memorial da América Latina que sediou drive thrus ocorrerá evento modelo

Governo do Estado de São Paulo - 19.03.2021

A ação "Feira das Feiras Criativas" ocorrerá em São Paulo nos dias 21 e 22 de agosto e faz parte da retomada das atividades com público. Segundo o governo, rígidos protocolos foram estabelecidos, incluindo a testagem de todos os participantes, visitantes e organizadores.

O governo do Estado de São Paulo acompanhará o primeiro evento-modelo de feira criativa nesses dias. O objetivo é refinar protocolos para a retomada das atividades com público. A "Feira das Feiras Criativas - SP" terá o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, será promovida .

Mais de 100 expositores e 16 feiras paulistanas de economia criativa estarão na área externa e sob a marquise do Memorial da América Latina, outro articulador do evento. Esta primeira edição marca a retomada do setor cultural e de economia criativa, ambos de grande importância para o Estado de São Paulo e o País.

O público será limitado por horário e não haverá bilheteria presencial. O protocolo da "Feira das Feiras Criativas - SP" elenca uma série de ações e medidas obrigatórias para o público, expositores e organizadores. Desde uso obrigatório de máscaras, até a capacidade reduzida, entrada com hora marcada e o acesso controlado de visitantes por meio de ingressos, em quantidade limitada, com vendas exclusivas antecipadamente pela internet.

O ingresso com hora marcada permitirá que o acesso seja realizado em pequenos grupos a cada 15 minutos para evitar aglomeração e o público receberá a recomendação de agendar, com antecedência, a realização do teste rápido de antígeno Sars-Cov-2, gratuito para entrada na Feira. Os participantes também serão monitorados após o evento para acompanhamento da segurança epidemiológica por meio eletrônico e por meio de retestagem de grupo amostral. Os resultados trarão insumos para decisões de políticas públicas.

"Colaborar com este evento é motivo de muita satisfação. É mais um passo no caminho para a nossa volta à normalidade. E o que nos dá confiança é que as medidas para a reabertura da economia, dos eventos em geral, incluindo o lazer, estão sendo tomadas como muita responsabilidade pela Prefeitura de São Paulo e o governo do Estado", disse o secretário municipal de Esportes e Lazer, Thiago Milhim.

"Com quase 100% da população adulta vacinada, com pelo menos a primeira dose, chegou o momento da retomada econômica consciente aguardada por empresários e trabalhadores deste setor, que foi duramente impactado pela pandemia", afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Aline Cardoso.

De acordo com uma pesquisa realizada no ano passado pelo Núcleo de Pesquisa e Inteligência de Mercado da São Paulo Turismo (SPTuris) e o Observatório de Turismo e Eventos, 89% do comércio no setor da economia criativa na cidade de São Paulo, como moda, artesanato, arte, design e gastronomia, é composto por feiras fixas ou itinerantes.

Além disso, 61% desses locais registram um ticket médio entre R$ 51 e R$ 250 e 56,5% das atividades são realizadas em espaços culturais. Vale ressaltar que a 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas também declarou em 2021 o ano internacional da Economia Criativa.

Poucos meses após o início da pandemia, em junho de 2020, a FGV publicou o "Relatório Sobre os Impactos Econômicos da Covid-19: Economia Criativa" que, naquela época já apontava que 88,6% do setor registrava queda no faturamento devido ao isolamento social e 66,4% dos empresários do setor se enquadravam em atividades que seriam totalmente interrompidas.

* Com a supervisão de Edilson Muniz, da Agência Record

Últimas