São Paulo Empresário paquistanês é libertado de cativeiro, em Diadema (SP)

Empresário paquistanês é libertado de cativeiro, em Diadema (SP)

Vítima, de 37 anos, passou 16 dias em poder dos sequestradores — que exigiam U$ 46 mil (cerca de R$ 250 mil) pelo resgate

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Empresário paquistanês é libertado de cativeiro em Diadema, na Grande SP

Empresário paquistanês é libertado de cativeiro em Diadema, na Grande SP

Reprodução/Record TV

Um empresário de 37 anos foi libertado de um cativeiro em Diadema, na Grande São Paulo, após passar 16 dias em poder dos sequestradores — quatro ainda estão foragidos e dois (um homem e uma mulher) foram presos. O grupo criminoso exigia U$ 250 mil (cerca de R$ 1,3 mi) pelo resgate

De acordo com as investigações, a vítima foi redida em frente da casa onde mora. Depois, foi levado para um barraco onde permaneceu por duas semanas. O espaço era bastante sujo e tinha apenas 7 metros quadrados. Havia um fogão e um colchão.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves, diretor do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), acredita que o empresário tenha sido torturado. "Ele ficou amarrado dentro do quarto, sem ventilação, situação totalmente desumana", revelou. Após ser liberada, a vítima ainda estava desorientada. A conversa entre o empresário e os policiais foi feita em inglês.

Negociação com sequestradores

Um vídeo foi enviado para a família nove dias depois do sequestro. Na gravação, os criminosos obrigaram o empresário a mostrar que estava vivo.

A Polícia Civil orientou a família na suposta negociação, enquanto os investigadores descobriam o endereço do cativeiro e prendiam os responsáveis por vigiar o local: Anderson Soares Nunes e Ingrid Bruna de Jesus.

"Eles foram presos saindo de um bar, deixaram a vitima amarrada e foram para o bar", contou o delegado Ronaldo Sayeg. A investigação da polícia prossegue para prender os demais envolvidos no caso.

Últimas