Novo Coronavírus

São Paulo Enfermeira do HC Unicamp é a 1ª imunizada no interior de SP

Enfermeira do HC Unicamp é a 1ª imunizada no interior de SP

Mulher, de 48 anos, recebeu dose da CoronaVac nesta 2ª feira (18), em Campinas. Doses são destinadas s 4 mil profissionais do HC

  • São Paulo | Do R7

Enfermeira recebe dose da Coronavac no HC de Campinas (SP)

Enfermeira recebe dose da Coronavac no HC de Campinas (SP)

Divulgação/Governo de São Paulo

O Hospital das Clínicas de Campinas (Unicamp) foi o primeiro hospital do interior de São Paulo a iniciar, nesta segunda-feira (18), a vacinação contra a covid-19 com o uso da CoronaVac. As doses da vacina do Instituto Butantan saíram da capital paulista às 8h. Por volta das 15h30, a equipe já estava preparada para vacinar os primeiros profissionais que atuam na unidade.

A técnica de enfermagem Liane Santana Mascarenhas Tinoco, de 48 anos, foi a primeira dos cerca de quatro mil profissionais de saúde a ser vacinada no município, em evento que teve a presença do governador João Doria (PSDB).

Liane atua na enfermaria específica para casos de coronavírus desde o início da pandemia. Moradora da cidade há 16 anos, a enfermeira demonstrou otimismo e esperança com a imunização. "Desde o começo, o desconhecimento gerou medo e insegurança, mas busquei forças e fui em frente. Agora estou vacinada", contou em entrevista coletiva.

Em seu discurso, João Doria se reveriu à CoronaVac como a "vacina do Brasil". O governador paulista também elogiou a decisão da Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) pela aprovação do uso emergencial das imunizações produzidas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz (AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford).

"O Butantan, desde abril deste ano, trabalha com o laboratório Sinovac para ter uma vacina no Brasil. E conseguimos. De forma acertada, a Anvisa fez a aprovação das vacinas, do Butantan e da Fiocruz. A vacina que está em solo brasileiro e que comecou a desenvolvida no solo de São Paulo, no Brasil", declarou o governador paulista. 

Distribuição das vacinas em SP

A distribuição das vacinas, seringas e agulhas para o interior também começou nesta segunda-feira (18) para cinco hospitais-escola do interior: os Hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto, Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto. No total, cerca de 60 mil profissionais que atuam nesses hospitais serão imunizados contra a covid-19, segundo o governo estadual.

De acordo com a previsão das autoridades sanitárias do estado, grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às Prefeituras nesta terça-feira (19), com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia.

A divisão das grades considerou o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde, baseado na última campanha de vacinação contra a gripe.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que a União viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação serão divulgadas pelo governo estadual.

Início da vacinação no Brasil

A primeira dose de vacina contra covid-19 no Brasil neste domingo (17), após a aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) do uso emergencial da CoronaVac. foi aplicada na enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, moradora de Itaquera, com perfil de alto risco para complicações da doença.

"Tenho muito orgulho disso, dessa grande oportunidade. Falo como brasileira. Vamos nos vacinar, não tenham medo. É o que estávamos precisando. É o que estavamos esperando. Pra gente poder voltar a vida normal. Dar um abraço, um aperto de mão", disse Monica.

Últimas