Novo Coronavírus

São Paulo Entenda o que é permitido durante a quarentena em São Paulo

Entenda o que é permitido durante a quarentena em São Paulo

Governo prorrogou até o dia 7 de feveiro a medida para evitar a disseminação da covid-19 em todo o estado

  • São Paulo | Karla Dunder, do R7

Quarentena evita aglomeração de pessoas e a disseminação da covid-19

Quarentena evita aglomeração de pessoas e a disseminação da covid-19

EFE/Marcelo Machado de Melo - 24.3.2020

O governador João Doria (PSDB) prorrogou até o dia 7 de fevereiro a quarentena em todo o estado de São Paulo. Desde o início da pandemia de coronavírus, esta é a 15ª vez que a medida é prorrogada pelo governo.

A medida tem como objetivo evitar aglomeração de pessoas e a diminuir a circulação do coronavírus e o aumento do casos de covid-19 no estado. O decreto da quarentena define quais são os serviços essenciais à população, quais não são essenciais e como eles devem funcionar. 

São considerados serviços essenciais os de alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza, segurança e comunicação social, entendimento adotado com base no decreto federal nº 10.282, de 20 de março de 2020. O texto garante as atividades industriais e agrícolas. 

O decreto também dá o tratamento uniforme as medidas restritivas para os municípios. Atualmente, a aplicação das medidas quarentena é feita por região, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Plano São Paulo

Para conter o avanço da doença, do dia 1º a 3 de janeiro todas as regiões recuam para a fase vermelha do Plano São Paulo, a mais retritiva, que só permite que serviços essenciais funcionem.

O que é o Plano São Paulo?

O Plano São Paulo é uma estratégia adotada pelo governo para uma retomada gradual da economia e adotado em junho. Foram estabelecidas cinco fases de acordo com o número de casos da doença e a taxa de ocupação das UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) dos hospitais: 

- Fase 1, vermelha: a mais restrita. Só é permitido o funcionamento dos serviços essenciais
- Fase 2, laranja: controle, possibilidade de aberturas com restrições. Exemplo: shoppings podem funcionar com 20% da capacidade e horário reduzido, mas as praças de alimentação ficam fechadas
- Fase 3, amarela: abertura gradual. Exemplo: Comércio abre com 40% da capacidade e horário reduzido 
- Fase 4, verde: abertura quase total de estabelecimentos: Exemplo: bares podem funcionar até às 22h com 60% da ocupação
- Fase 5, azul: "normal controlado" - todos os setores em funcionamento, mas mantendo medidas de distanciamento e higiene

Em todas as fases é obrigatório o uso de máscaras e de medidas sanitárias como o uso do álcool em gel para limpeza das mãos.

Número da covid-19 em São Paulo

São Paulo registrou na quarta-feira (30) 11.849 novos casos e 282 novas mortes por covid-19 nas últimas 24h. O acumulado do mês de dezembro representa um aumento de 68% em casos e 57% em óbitos em comparação aos 30 dias do mês de novembro.

O total de casos acumulados da doença no estado é de 1.452.078 e o de óbitos é de 46.477. Entre o total de casos diagnosticados, 1.287.286 pessoas estão recuperadas, sendo que 154.532 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,2% na grande São Paulo e 61,4% no Estado. O número de pacientes internados é de 11.129, sendo 6.252 em enfermaria e 4.877 em unidades de terapia intensiva, conforme dados oficiais divulgados na terça (30).

Últimas