Estado de SP mantém uso obrigatório de máscara em presídios

Exigência da proteção é válida para todos os servidores e presos do sistema penitencíario estadual e torna inócuo veto do governo federal sobre o tema

Detentos do sistema prisional paulista confeccionam máscaras de proteção facial

Detentos do sistema prisional paulista confeccionam máscaras de proteção facial

Divulgação/Governo do Estado de SP

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo) informou, nesta segunda-feira (6) que o uso obrigatório de máscaras como meio de prevenção ao novo coronavírus está mantido em todas as 176 unidades prisionais do estado.

Leia também: Randolfe pede devolução do veto sobre uso de máscara e aciona STF

A exigência da proteção é válida para todos os 35.258 servidores da pasta e os 218.701 presos do sistema estadual, medida que torna inócuo o veto assinado presidente Jair Bolsonaro em todo o território paulista.

Leia também: Bolsonaro mantém obrigatório uso de máscara, mas libera em igrejas

De acordo com o governo estadual, a decisão segue critérios científicos e de saúde adotados em todo o mundo como um dos principais métodos para impedir o contágio pelo coronavírus em ambientes com circulação de pessoas.

A SAP frisou ainda que, além de zelar pela saúde de servidores e de detentos, também ajuda a população de São Paulo a se proteger com a produção de mais de 4,2 milhões de máscaras nas unidades prisionais estaduais.