São Paulo Ex-presidente da Alesp assume Casa Civil do governo de São Paulo

Ex-presidente da Alesp assume Casa Civil do governo de São Paulo

Deputado estadual, Cauê Macris foi presidente da Alesp duas vezes. Nomeação está na edição desta terça-feira (16) do D.O.

  • São Paulo | Do R7

Macris (PSDB) se elegeu presidente da Alesp com 70 dos 94 votos em março de 2019

Macris (PSDB) se elegeu presidente da Alesp com 70 dos 94 votos em março de 2019

Reprodução/Facebook

O deputado estadual e ex-presidente da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), Cauê Macris, é nomeado secretário da Casa Civil do governo de São Paulo. A nomeação foi publicada na edição desta terça-feira (16) do Diário Oficial do Estado.

“Cauê une capacidade de realização, conhecimento e entusiasmo na gestão pública. O Governo de São Paulo ganha com a sua capacidade de interlocução, envolvendo sociedade civil e Poder Legislativo. Nosso objetivo neste momento é um só: superar a pandemia do coronavírus", diz Doria.

Em seu terceiro mandato de deputado estadual, Macris foi presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo por duas vezes. À frente da presidência da Alesp, atuou em apoio às ações contra a covid-19, pela doação de 30% dos salários dos deputados no combate à pandemia, no lançamento do aplicativo Fiscaliza Cidadão para ampliar a transparência da Assembleia, além de corte de gastos e modernização administrativa.

Secretário licenciado por dois anos

O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD), secretário licenciado desde o começo da gestão João Doria (PSDB), oficializou sua saída da Casa Civil em dezembro do ano passado. A iniciativa de deixar o governo em definitivo partiu do próprio político, segundo comunicado divulgado pelo governo do Estado.

O comunicado confirma que Doria recebeu a carta de demissão de Kassab no dia 18 de dezembro e afirma que o governo "respeita a decisão do ex-ministro das Cidades e ex-prefeito de São Paulo de sair definitivamente em uma decisão de comum acordo". A nota ainda diz que "mesmo distante, Kassab colaborou com a administração estadual nestes dois anos".

Escolhido por Doria para a pasta, Kassab pediu licença do cargo antes mesmo do início da gestão, em 27 de dezembro de 2018. A decisão foi tomada, após o ex-prefeito se tornar alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal, relacionada a uma delação do grupo J&F.

Presidente nacional do PSD, partido que compõe a base aliada de Doria em São Paulo e do presidente Jair Bolsonaro no cenário federal, Kassab deve se dedicar a partir de agora ao planejamento da sigla para 2022. O partido teve um crescimento considerável nas eleições municipais deste ano, saltando de 538 para 634 prefeitos eleitos, mantendo-se como o 3º partido do País com mais municípios.

Últimas