São Paulo Explosivos achados em Paraisópolis poderiam destruir a região, diz PM

Explosivos achados em Paraisópolis poderiam destruir a região, diz PM

Polícia Militar prendeu suposto integrante do PCC e localizou apartamento com bananas de dinamites e munições

  • São Paulo | Do R7

Explosivos apreendidos em Paraisópolis

Explosivos apreendidos em Paraisópolis

Reprodução/Facebook

A Polícia Militar de São Paulo apreendeu, nesta quarta-feira (5), cerca de 250 kg de explosivos em um apartamento na comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. De acordo com o coronel Rogério, do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais), que está na operação, a quantidade de bombas é o suficiente para destruir toda a favela, que é a segunda maior de São Paulo.

De acordo com a Polícia Militar, foram localizados 280 cartuchos de emulsão a base de nitrato de amônio, conhecidas como bananas de dinamites. Ainda segundo a PM, esses explosivos costumam ser usados em pedreiras, mas nas mãos dos criminosos servem para explodir caixas eletrônicos, agências bancárias e carros-fortes.

A polícia chegou até o local que armazanava os explosivos e um grande número de munições de armas de grosso calibre após a prisão de um suposto integrante da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Ele teria indicado onde era o depósito da organização criminosa.

No momento da abordagem, o suposto membro do PCC apresentou documentos de identidade falsos e informou aos policiais que armazenava armamento, munições e outros objetos em sete endereços diferentes, conhecidos como “casa bomba”, dentro da comunidade de Paraisópolis.

Os policiais pediram reforço para outras equipes da Rota e do Gate. Inicialmente, as informações eram sobre a localização de armamentos e 50 kg de explosivos. Os números foram atualizados pelo capitão Rogério, que permitiu a entrada da equipe do Cidade Alerta, da Record TV, no apartamento utilizado pelo PCC como depósito.

Últimas