São Paulo Família de homem desconfia de morte após empurrão da namorada

Família de homem desconfia de morte após empurrão da namorada

Grávida de gêmeos, Érika disseque foi agredida por Marcos e revidou com empurrão, que o fez cair, bater a cabeça e morrer

  • São Paulo | Do R7

Érika foi indiciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Érika foi indiciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Reprodução/Record TV

A família de Marcos Ramos, morto após uma briga com Érika, sua namorada e grávida de seus filhos, desconfia da versão da mulher. Ela disse à polícia que foi agredida por Marcos e revidou com um empurrão, que o fez cair, bater a cabeça no chão e morrer.

José Márcio de Oliveira, o irmão da vítima, afirmou que, ao chegarem ao local onde Marcos morreu, os parentes avistaram o corpo do homem caído com a cabeça apontada para um lado e os pés para outro. “Ficamos desesperados, sem chão. Não nos conformamos até agora com a morte dele, mas sabemos que tem muitas coisas que não estão batendo”, disse José à Record TV.

Neuza Ramos de Oliveira destacou o fato do filho ser professor de capoeira e questionou como ele teria morrido somente caindo no chão.

“Quantas vezes o próprio mestre derrubou ele na roda de capoeira? Ele nunca chegou aqui com nem um dedo quebrado. Ele sendo um atleta, um capoeirista de tantos anos que era, ele sabe e era treinado a cair”. 

A polícia ainda investiga a morte de Marcos, e Érika foi indiciada por homicídio culposo e responderá pelo crime em liberdade.

O caso

Marcos Ramos morreu após ser empurrado pela namorada, grávida de gêmeos do casal, depois de uma briga em Praia Grande, no litoral de São Paulo. A mulher relata que não tinha intenção de matá-lo. Segundo apurou a Record TV, o casal teria passado a noite anterior na casa de amigos, onde ingeriu bebidas alcóolicas. Os dois foram à praia de manhã, voltaram à noite e, ao perceberem que não achavam a chave da residência, se iniciou uma discussão.

Érika relatou que, durante a confusão, foi agredida com um soco e revidou empurrando Marcos, que bateu a cabeça no chão e morreu. Ela também contou à polícia que os dois haviam usado drogas na praia.

Segundo o advogado da mulher, a companheira chamou uma ambulância para Marcos logo na sequência da queda.

A família de Marcos não acredita na versão da mulher, e decidiu que pedirá a guarda dos filhos do casal, argumentando que a mulher não possui condições de cuidar das crianças.

Últimas