Farmácias também venderão álcool gel a preço de custo em São Paulo

Supermercados já haviam fechado acordo com governo por medida que vale a partir de segunda (23). Cada pessoa só poderá comprar dois frascos 

Supermercados e farmácias venderão produto a preço de custo no estado de SP

Supermercados e farmácias venderão produto a preço de custo no estado de SP

Reprodução/Record TV

As farmácias também venderão álcool gel a preço de custo em todo o estado de São Paulo, anunciou o governador João Doria em entrevista coletiva nesta sexta-feira (20). O anúncio vem um dia após a confirmação de que os supermercados ofereceriam o produto sem qualquer alteração de preço ao consumidor, como forma de coibir a disseminação do novo coronavírus.  

A medida valerá a partir de segunda-feira (23) para as unidades filiadas à Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogaria). “Isso é fruto de uma negociação do Governo do Estado de São Paulo com as duas principais entidades que atuam na área supermercadista e na área das drogarias”, disse Doria, lembrando do anúncio feito ontem, em parceria com a APAS (Associação Paulista de Supermercados). As duas entidades fazem parte do comitê executivo sob coordenação da Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, formado por representantes do Estado e empresários. 

Bom senso

O limite máximo de venda será de dois frascos por pessoa, para tentar equilibrar o armazenamento do produto. O governador descartou o risco de desabastecimento no estado e orientou que a população evite uma corrida aos supermercados e farmácias. "Comprem apenas aquilo que é necessário dentro do seu padrão de consumo e do seu bom senso", afirmou. 

O produto é um dos principais itens recomendados por autoridades de saúde para prevenção e combate ao novo coronavírus. Especialistas em saúde recomendam o uso frequente para higiene das mãos e também de objetos, móveis e superfícies que possam ter sido contaminados.

Na entrevista coletiva, o governador disse ainda que São Paulo a segurança será reforçada no entorno destes estabelecimentos. Doria anunciou ainda estado de calamidade pública a partir deste sábado (20). Serviços públicos não essenciais serão fechados, parques estaduais serão fechados e Detran-SP e Poupatempo só farão atendimento remoto.