"Foi um susto", diz morador sobre incêndio em pico da Serra Fina

Segundo Marcelo Sinoca, chamas podem ser vistas da cidade de Cruzeiro. Voluntários tentam ajudar no combate às chamas em local de difícil acesso 

Bombeiros combatem incêndio em área de difícil acesso na Serra Fina

Bombeiros combatem incêndio em área de difícil acesso na Serra Fina

Reprodução / Corpo de Bombeiros SP

O incêndio que atinge o Pico da Pedra da Mina, que é a quarta montanha mais alta do Brasil e a mais alta do estado de São Paulo, assustou os moradores das cidades da chamada Serra Fina, na divisa entre São Paulo e Minas Gerais. "Os moradores de Cruzeiro foram os primeiros a ver o fogo, foi um susto para todos", afirmou Marcelo Sinoca, de 33 anos, que tem um rancho no pé da serra, na cidade de Passa Quatro. 

Segundo ele, não são raros os incêndios nessa época do ano: "Nessa temporada de seca, de montanha no Brasil, a gente acompanha, infelizmente, vários focos no Pico dos Marins, no Parque Nacional do Itatiaia e na Serra Fina. Lá em cima, como é muito alto, uma área remota, é uma das travessias mais clássicas e difíceis do país, mas, graças a Deus, não tinha ninguém no alto, nessa época de perigo, para que se queimar".

Leia mais: Mulher morre ao tentar escapar de incêndio no centro de São Paulo

Marcelo conta que o incêndio já queimou uma grande área de cobertura vegetal no alto da montanha, que tem 2.798 metros de altitude. Neste sábado (18), cerca de 60 bombeiros trabalham no combate às chamas com o auxílio de helicópteros. 

De acordo com a corporação, não há vítimas no fogo, mas a presença de neblina dificultou os trabalhos nesta manhã, uma vez que a visibilidade é essencial para o sobrevoo do helicóptero. As operações tiveram início às 11 horas. 

O foco de incêndio próximo ao acampamento foi extinto. A cerca de 3 quilômetros do local, as chamas ainda são visíveis e bastante altas. O vento é forte assim como o nevoeiro. O tenente Raphael Brito, que comanda a operação no alto da montanha, revelou que a visibilidade, pela manhã, era de apenas 20 metros.

Veja também: GCM acaba com festa clandestina durante quarentena na Grande SP

Marcelo relata também que muitas pessoas se voluntariam a ajudar. Ele está agora reunindo água para levar aos bombeiros: "Estamos de prontidão, nos voluntariando. Vou levar a água para Cruzeiro e depois será encaminhada às equipes. Um milagre seria uma chuva agora".

Acesso à montanha é feito com auxílio de helicóptero da Polícia Militar

Acesso à montanha é feito com auxílio de helicóptero da Polícia Militar

Reprodução / Corpo de Bombeiros SP

Combate às chamas

Desde sexta-feira (17), o Corpo de Bombeiros de São Paulo combate o incêndio em uma grande área de cobertura vegetal conhecida como Pico da Pedra da Mina, na Serra Fina, uma seção da Serra da Mantiqueira. 

O fogo começou em território mineiro e atingiu a área paulista. Os bombeiros iniciaram então uma operação de combate às chamas, com a instalação de um posto de comando na cidade de Cruzeiro, no campo da Faculdade de Educação Física.

Leia ainda: PF monta força-tarefa para apurar fraudes em auxílio emergencial

A partir de lá, as equipes são transportadas no helicóptero Águia da Polícia Militar  até a região do incêndio. O acesso por terra só é possível a partir do território mineiro e levaria cerca de dois dias de caminhada, segundo a corporação.

Ainda não há informação sobre a origem do fogo.

Veja imagens do combate às chamas: