Folião fica em estado grave após ser atingido por pedra em bloco de SP

Thiago Oliveira Santos, de 24 anos, estava na companhia de um amigo, que também foi atingido, em desfile de agremiação no centro da capital paulista

Folião fica em estado grave após ser atingido por pedra em bloco de SP

Na foto, desfile do Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, em São Paulo

Na foto, desfile do Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, em São Paulo

Eduardo Anizelli / Folhapress / 24.02.2019

Dois foliões foram atingidos por uma pedra, durante o desfile do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, no último domingo (24), na rua da Consolação, no centro de São Paulo.

Thiago Oliveira Santos, de 24 anos, ficou gravemente ferido na cabeça e Gustavo Carvalho Mendonça, também de 24, teve ferimentos leves nas costas.

Leia mais: Um ano depois, morte de jovem em poste no Carnaval não tem culpados

Segundo Mendonça, os amigos estavam na rua da Consolação, na altura da rua Marquês de Paranaguá, quando o objeto foi arremessado por desconhecidos.

Santos desmaiou com o impacto e foi socorrido pelos Bombeiros à Santa Casa de São Paulo. Porém, devido ao seu grave estado de saúde, foi transferido para o Hospital Carlos Chagas onde passa por cirurgia.

De acordo com a família, Santos teve uma rachadura no crânio e pode ter seus movimentos reduzidos, além de correr o risco de morte encefálica. Ainda não se sabe a motivação do ataque. O caso foi registrado como lesão corporal e lesão corporal de natureza grave, no 4° DP (Consolação).

Jovem eletrocutado

O inquérito para apurar a morte do estudante Lucas Antônio Lacerda da Silva, eletrocutado ao encostar em um poste com câmeras para monitoramento no dia 4 de fevereiro de 2018 quando participava do pré-Carnaval de rua no centro de São Paulo, ainda não foi finalizado e está no IC (Instituto de Criminalística). O órgão é responsável por fornecer provas técnicas para auxiliar na resolução de casos criminais.

Veja também: MP move ação contra secretários de Doria por improbidade no Carnaval

A morte de Lucas ocorreu quando o rapaz pulou uma grade de ferro e encostou a palma da mão no poste energizado, com as câmeras de monitoramento instaladas pela empresa GWA Systems na rua Matias Aires no cruzamento com a rua da Consolação, no centro de São Paulo. Lucas e amigos participavam do desfile do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta.