São Paulo Fraude milionária: suspeitos teriam usado app para coletar dados

Fraude milionária: suspeitos teriam usado app para coletar dados

Grupo teria usado aplicativo para coletar informações precisas dos clientes. Em um dos bancos, mais de 24 mil pessoas foram vítimas do golpe

Polícia apreendeu armas, bolsas de marca, aparelhos eletrônicos e peças de arte

Polícia apreendeu armas, bolsas de marca, aparelhos eletrônicos e peças de arte

Plínio Aguiar/R7

O trio suspeito de fraudar contas bancárias em mais de R$ 400 milhões preso nesta quarta-feira (10) agiu por um sistema eletrônico equivalente a um aplicativo, informou o delegado José Mariano de Araújo Filho.

Em coletiva realizada na sede do DEIC (Delegacia Estadual de Investigações de Crime), o delegado contou que o grupo, por meio do aplicativo, coletava informações precisas dos clientes bancários. Em uma das instituições bancárias, mais de 24 mil pessoas foram vítimas do golpe. “É um jovem empreendedor criminoso”, disse.

A organização presa, temporariamente por cinco dias, “deriva de uma atuação moderna e em força-tarefa”. Segundo o promotor de Justiça Richard Ensinas, “de grande envergadura.”

Diversos carros de luxo foram levados para o Deic

Diversos carros de luxo foram levados para o Deic

Plínio Aguiar/R7

O chefe da quadrilha, um jovem de 24 anos, tinha conhecimento técnico em informática e, na medida em que foi enriquecendo de forma ilícita, ostentava nas redes sociais os carros de luxo e as viagens caríssimas. O nome da operação, segundo o delegado civil, é proveniente dessa postagem quase diária da vida que levava.

Carros de luxo como Ferraris, Lamborghinis, Audis, Porsches e Maseratis foram apreendidos durante a operação, bem como armas airsoft, quadros artísticos e bolsas de grife. Somente com os veículos, a estimativa de valor é de mais de R$ 20 milhões.