São Paulo Fundação Casa: servidores decidem entrar em greve a partir de sexta (4)

Fundação Casa: servidores decidem entrar em greve a partir de sexta (4)

Trabalhadores protestam contra aumento do plano de saúde e corte no vale refeição e alegam não ter reajuste salarial desde 2015

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Servidores protestam contra aumento do convênio médico e corte do vale refeição

Servidores protestam contra aumento do convênio médico e corte do vale refeição

Reprodução/Agência Brasil

Servidores da Fundação Casa decidiram em assembleia realizada neste sábado (29) que vão entrar em greve a partir de sexta-feira (4). Os trabalhadores protestam, entre outros pontos contra o aumento do convênio médico e a redução do vale-refeição, de acordo com o Sitsesp (Sindicato dos Servidores Público e Empregados Celetistas nas Fundações e Entidades do Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente em Conflito com a Lei do Estado de São Paulo).

O sindicato afirma que os servidores estão sem reajuste salarial desde 2015 e sem repasse da inflação desde 2019. No entanto, houve reajustes anuais no valor do plano de saúde em negociações unilaterais sem a participação dos servidores. A categoria ainda alega que há uma década não tem Plano de Cargos e Salários aplicados em suas funções e que a Fundação Casa vem reduzindo e fechando centros de internação em todo o estado e transferindo servidores para longe de casa, "separando assim, dos seus familiares gerando um custo altíssimo para estes servidores transferidos, além de outras sequelas na saúde do trabalhador".

Além disso, um comunicado informou que o valor do vale refeição será cortado ou descontado  a partir de terça-feira (1), nos casos de férias, afastamento por comorbidades ou compulsório, licença maternidade/adotante, atestado médico e falta injustificada, entre outros. 

A nota, a Fundação Casa informou que "é inadmissível uma categoria cogitar greve em meio à pandemia, quando nunca houve atraso de pagamento, benéficios e os empregos foram mantidos, uma situação completamente oposta à do restante da população, que sofre com uma grave crise econômica causada pela pandemia".

Últimas