São Paulo GCM afasta guarda que agrediu artista trans na Cracolândia

GCM afasta guarda que agrediu artista trans na Cracolândia

Agente foi gravado agredindo com cassetete a vítima, que disse também ter sido xingada de forma racista e homofóbica

  • São Paulo | Laura Lourenço e Rafael Custódio, da Agência Record

A Guarda Civil Metropolitana afastou o agente que foi filmado na semana passada agredindo com um cassetete uma artista transexual na região da Cracolândia, centro de São Paulo. "Os fatos estão sendo apurados através de regramento próprio. As instituições não coadunam com ações contrárias à preservação dos direitos humanos", informou a prefeitura sobre o caso.

O caso ocorreu na tarde da última quinta-feira (30) e foi gravado por pessoas que presenciaram a agressão. A vítima, Laura Cruz, faz parte no coletivo "Tem Sentimento" e estava na região depois de sair para buscar doações de roupas. 

Na volta, ela foi abordada de forma violenta por guardas civis. Em um dos vídeos, um agente aparece correndo atrás de Laura, enquanto grita "volta aqui que eu te arrebento". Em seguida, ela é agredida com um cassete que chegou a quebrar em suas costas. A vítima, que é transexual, também sofreu ofensas racistas e homofóbicas.

Laura ainda relatou que um dos guardas afirmou que ela estava no território da Cracolândia e já deveria estar acostumada com isso.

"Eu não tenho que me acostumar com isso. Quem eles deveriam prender, não estão prendendo. Com o que eles deviam acabar, eles não estão acabando que é o tráfico, que é a droga", rebateu a vítima, por meio de divulgado pelo movimento "A Craco Resiste".

Transexual foi agredida duas vezes com um cassetete

Transexual foi agredida duas vezes com um cassetete

Divulgação/ Movimento A Craco Resiste

Últimas