GCM flagra furto de estátua de bronze no Cemitério da Consolação

Dois suspeitos tentavam fugir do local, na região central de São Paulo, com uma peça de um metro de altura e 100 kg em um carrinho de supermercado

Furtos de estátuas do Cemitério da Consolação têm ocorrido ha 2 semanas

Furtos de estátuas do Cemitério da Consolação têm ocorrido ha 2 semanas

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A GCM (Guarda Civil Municipal de São Paulo) flagrou, nesta quinta-feira (3), o furto de uma estátua de bronze no Cemitério da Consolação, na região central de São Paulo. Dois homens foram presos em flagrante. Foi o terceiro caso semelhante em duas semanas. As informações são da Record TV.

A peça mede aproximadamente um metro de altura e pesa cerca de 100 kg. Os ladrões foram abordados pelos guardas civis quando saíam do cemitério com os objetos em um carrinho de supermercado. "Tinha um cobertor. Parecia até um corpo", comentou um integrante da equipe da GCM que prendeu os suspeitos.

Receptação

Os receptadores dos objetos furtados haviam montado um esquema bem articulado para guardar as peças até a revenda. Os suspeitos levariam as estátuas até um galpão, localizado na região da Luz, onde receberiam R$ 200,00 como pagamento.

A equipe da GCM foi até o depósito para averiguar a denúncia, mas o local estava fechado. "Tem um caminhão acordado com os meliantes. O caminhão fica aberto, coloca [as estátuas] no baú, fecha com cadeado e, em certo local, tem uma sacolinha com os valores escondidos", explicou o guarda civil.

Crime recorrente

A GCM já contabilizou outros dois crimes semelhantes nos últimos dias com o mesmo objetivo: furtar estátuas e objetos de túmulos no Cemitério da Consolação.

Na última quarta-feira, dois homens foram presos em flagrante depois de ser vistos pela PM transportando os objetos em uma carroça. As peças eram grandes, pesavam cerca de 70 kg e mediam até 1.80 m.

Em setembro, homens tentavam tirar objetos por um dos muros do cemitério em sacolas. Um deles foi perseguido em plena Rua da Consolação e preso. Com ele, foram encontradas 21 placas de bronze.