Gestão Covas reprova novos atendimentos da EMTU em SP

Prefeito alegou que há concorrência com linhas municipais da SPTrans. Sob o mesmo argumento, prefeitura já tinha determinado a extinção de 12 linhas

Serviços fariam concorrência com transporte da SPTrans

Serviços fariam concorrência com transporte da SPTrans

Divulgação/EMTU

A prefeitura de São Paulo impediu a criação de atendimentos de linhas da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), alegando que os serviços, que partiram de cidades da grande São Paulo, fariam concorrência com o sistema municipal da capital paulista, gerenciado pela SPTrans (São Paulo Transporte).

Leia também: Tarifa de ônibus que atende aeroporto de Guarulhos é reduzida

Por meio da SMT (Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes), também foram negadas alterações de itinerários e frota, com a alegação de que as solicitações da EMTU e dos consórcios metropolitanos impactariam “diretamente em concorrência e sobreposição com as linhas do sistema municipal”.

Os atendimentos metropolitanos que foram negados ligariam a cidade de Santana de Parnaíba (Centro Empresarial Tamboré) à estação Paraíso do metrô, na capital paulista; e o município de Santana de Parnaíba (Residencial Valville) à região da Lapa, na zona oeste.

A prefeitura informa queanalisou o impacto e a viabilidade de cada das linhas, reprovadas porque fariam o mesmo trajeto que as linhas de ônibus da cidade já realizam. A secretaria afirma que "a responsabilidade do transporte público é do município e que todos os trajetos de linhas intermunicipais são analisados por técnicos da SMT para que sejam evitadas interferências no trânsito e sobreposição com o serviço municipal, gerenciado pela SPTrans".