Governo de SP adianta o pagamento da 2ª parcela do Merenda em Casa

Benefício é ampliado e será dado para 224,3 mil alunos da capital. Valor-base é de R$ 55 mensais para compra de alimentos durante a pandemia

Crianças recebem auxílio durante pandemia

Crianças recebem auxílio durante pandemia

CLAYTON DE SOUZA / Estadão Conteúdo - 13/09/2010

O Governo de São Paulo confirmou na quinta-feira (30) o pagamento adiantado da segunda parcela do programa Merenda em Casa. Cerca de 224,3 mil alunos da rede estadual da capital vão receber o auxílio no valor-base de R$ 55 para a compra de alimentos durante a pandemia de coronavírus.  

Em todo o estado, o benefício é oferecido a 740 mil estudantes cujas famílias recebem o Bolsa Família ou vivem em situação de extrema pobreza e não recebem o benefício federal, de acordo com o Cadastro Único do Ministério da Cidadania.

Leia mais: MEC libera R$ 364 milhões para alimentação escolar em todo o país

Nesta segunda parcela, cerca de 8 mil novos estudantes passaram a ser contemplados pelo programa a partir desta segunda parcela. Eles são alunos das Apaes e das Etecs (Escolas Técnicas Estaduais) do Centro Paula Souza e obedecem aos mesmos critérios socioeconômicos. 

Durante dois meses, o benefício para 113 mil estudantes mais carentes será dobrado e passará para R$ 110. A verba extra será garantida por meio de uma iniciativa da Comunitas, organização social especializada em parcerias público-privadas. O grupo iniciou a mobilização de recursos privados para potencializar esforços e levar renda para as famílias mais vulneráveis do Estado. 

O repasse de R$ 55 é subsidiado integralmente pelo Governo de São Paulo e será oferecido enquanto as aulas da rede pública estadual permanecerem suspensas.

O pagamento será feito por meio do aplicativo PicPay, que pode ser usado em qualquer smartphone. O cadastro no aplicativo deve ser realizado no nome do responsável pela família de cada estudante com direito ao subsídio.