Governo de SP nega decreto de lockdown que circula na internet

Palácio dos Bandeirantes afirma que se trata de fake news e que texto é proposta de deputado que já foi rejeitada pela Assembleia Legislativa

Texto é inverídico, ressalta governo de São Paulo

Texto é inverídico, ressalta governo de São Paulo

Reprodução

Começou a circular nesta quinta-feira (21) nas redes sociais imagens de um suposto decreto de lockdown no estado de São Paulo, entre 1º e 15 de junho. O governo diz que se trata de fake news e que o texto reproduzido é de uma proposta de um deputado que já foi rejeitada pela Assembleia Legislativa.

O texto diz que seria necessário apresentar comprovações para deslocamentos em todo o estado, que incluiriam desde carta do empregador até comprovante de compras.

O governador João Doria tem repetido que já tem um protocolo de lockdown pronto, mas que não fará qualquer anúncio antes de uma avaliação ao final da quarentena atual, no dia 31 de maio.

A expectativa do governo é que os índices de isolamento social melhorem até lá e que seja possível abrir mais leitos hospitalares, o que daria um alívio ao sistema de saúde e evitaria medidas extremas.

"Nós temos o protocolo do lockdown pronto, eu tenho dito isso nas últimas duas semanas. Mas se pudermos evitar, com ações, com medidas e com a solidariedade das pessoas que estão se resguardando, se protegendo e se isolando em casa, melhor. Evitar a medida extrema representa respeito e atitude. Mas se nós não tivermos solidariedade, os índices crescerem ainda mais e colocarmos em risco a vida das pessoas, seremos obrigados a adotar o lockdown", afirmou o governador na quarta-feira (20).