Coronavac

São Paulo Governo de SP rebate acusação de Bolsonaro sobre valor de vacina

Governo de SP rebate acusação de Bolsonaro sobre valor de vacina

Mais cedo, Bolsonaro havia dito que a fabricante Sinovac ofereceu a CoronaVac pela metade do preço cobrado pelo Butantan

  • São Paulo | Do R7

Governo de SP criticou Bolsonaro em nota emitida nesta quinta-feira (22)

Governo de SP criticou Bolsonaro em nota emitida nesta quinta-feira (22)

SERGEY DOLZHENKO/EFE

O governo do estado de São Paulo emitiu, na noite desta quinta-feira (22), uma nota oficial para rebater declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a respeito do preço vacina CoronaVac. Bolsonaro havia dito que a fabricante Sinovac ofereceu o imunizante pela metade do preço cobrado pelo Instituto Butantan.

No comunicado, a gestão de João Doria (PSDB) afirma que o presidente delirou na entrevista concedida mais cedo à rádio Band B, e que fez acusações sem provas.

“Bolsonaro tenta, com isso, desviar as atenções das denúncias contra seu próprio governo, que recebeu oferta de grupo empresarial para comprar a vacina por quase o triplo do valor negociado entre o Ministério da Saúde e o Butantan. O Butantan é o único representante da Sinovac no Brasil e na América Latina para a comercialização da Coronavac”, escreve o governo paulista no comunicado.

A gestão estadual conclui a nota alegando que, com as afirmações feitas hoje, Bolsonaro demonstrou incoerência na fala e em seus atos.

Bolsonaro fala sobre preço da vacina

Mais cedo, quando concedeu entrevista à rádio de Curitiba (PR), após dizer que a Sinovac ofereceu seu imunizante por metade do preço, Bolsonaro também disse que enviou a proposta à CGU (Controladoria-Geral da União), ao Ministério da Justiça e ao Tribunal de Contas da União para apurar por que existe essa diferença nos preços e se há irregularidade no acordo de aquisição das vacinas.

“Por que a matriz nos oferece a vacina pronta a US$ 5 e eles, Butantan, ao receber o IFA da China, nos revende a US$ 10, pode ser que não haja nada de errado nisso tudo, mas o Butantan nunca nos apresentou a planilha de preço. Pelo que tudo indica no momento é algo assustador”, disse.

O presidente afirmou que o governo não respondeu à Sinovac. “Vou conversar de novo com o [ministro da Saúde, Marcelo] Queiroga hoje, mas antes vamos investigar. Não vou comprar algo que a população não quer tomar”, concluiu, sugerindo que a vacina possuísse uma qualidade menor que as outras disponíveis no país.

Últimas