Grupo de estudo confirma primeiro pet com covid-19 em SP

Segundo coordenador do grupo PetCovid-19, animais são apenas vítimas e não há evidências que eles transmitam a doença

  • São Paulo | Kaique Dalapola, do R7

audima
Grupo acompanha gata com covid-19
Divulgação/PetCovid-19

São Paulo teve nesta quinta-feira (11) a primeira confirmação de um animal contaminado com covid-19. Trata-se de uma gata de seis anos que fez a testagem em dezembro, passou pela análise de um grupo de estudo chamado PetCovid-19, e após três meses o resultado apontou que ela foi infectada com coronavírus.

Além dessa gata, o Brasil tem outros 14 pets com confirmação de coronavírus. O grupo de estudo é formado por professores de universidades de seis capitais do país, que são: Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Recife e São Paulo.

Segundo o professor Rafael Agopian, coordenador do curso de veterinária da Unisa (Universidade de Santo Amaro) e do PetCovid-19 em São Paulo, a gata contaminada na capital paulista já está recuperada e segue sendo acompanhada pelo grupo.

De acordo com o professor, os estudos feitos até o momento indicam que os animais são apenas vítimas do coronavírus, portanto, eles não transmitem a doença para seres humanos, nem para outros animais.

O estudo indica que a gata contaminada em São Paulo foi infectada pela dona, e passou a ter sintomas como tosse, espirro e diarreia. Não há informações de pets que tenham morrido no país por causa da covid-19, e o grupo segue estudando para saber se a contaminação pode agravar outras doenças dos animais.

Publicidade

Como não há indícios de que os animais são transmissores da doença, Agopian afirma que não há neste momento uma preocupação para um possível surto de covid-19 entre os pets. Até o momento, ainda de acordo com o professor, cerca de 110 animais passaram pelo teste no Brasil, nas capitais onde o grupo atua.

Ir para versão mobile