São Paulo Grupo faz protesto após PM matar jovem na zona sul de São Paulo

Grupo faz protesto após PM matar jovem na zona sul de São Paulo

Testemunhas afirmam que homem de 27 anos foi morto com tiros nas costas após tentar fugir de abordagem, nesta quinta-feira (15)

  • São Paulo | Rafael Custódio, da Agência Record

Grupo protesta após morte de jovem

Grupo protesta após morte de jovem

Reprodução

Amigos e familiares de um homem identificado como Jowjow, de 27 anos, fazem um protesto no bairro de Pedreira, na zona sul de São Paulo, em resposta à morte do rapaz nesta quinta-feira (15).

De acordo com testemunhas, o homem estava com vizinhos, quando foi abordado por pelo menos quatro policiais militares, e teria tentado correr durante a abordagem. No entanto, os PMs atiraram pelas costas e o mataram.

Já a versão da Polícia Militar diz que o homem havia disparado contra equipes da Força Tática do 22º Batalhão, e os agentes revidaram, matando o rapaz. A polícia chegou a acionar o resgate, mas Jowjow morreu no local.

Após saberem da morte do rapaz, familiares e amigos iniciaram um protesto. A Polícia Militar foi acionada por volta das 19h e está no local acompanhando a manifestação.

Moradores, que procuraram a reportagem, afirmam que os policiais lançaram bombas de gás lacrimogênio para dispersar os manifestantes. Procurada, a comunicação social da PM alega que não há registros de utilização de bombas.

A área é atendida pelo 98º DP (Jardim Miriam), mas a ocorrência deve ser encaminhada ao DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). A reportagem questionou a Secretaria de Segurança Pública, mas ainda não obteve retorno.

Últimas