São Paulo Grupo invade Instituto Royal, rende vigias e leva camundongos

Grupo invade Instituto Royal, rende vigias e leva camundongos

A polícia de São Roque confirmou a ocorrência; ninguém foi detido até o momento

  • São Paulo | Do R7, com TV Record Sorocaba

Após retirada de beagles, grupo pegou camundongos de instituto

Após retirada de beagles, grupo pegou camundongos de instituto

Reprodução/Facebook Black Bloc

Um grupo de cerca de 40 pessoas invadiu o Instituto Royal, em São Roque, na madrugada desta quarta-feira (13) e levou os camundongos que ainda estavam no laboratório da empresa. De acordo com informações da TV Record Sorocaba, os três vigias que estavam no local foram rendidos — um deles chegou a ser amarrado com o cadarço do calçado que utilizava.

As pessoas estavam encapuzadas e portavam facas, machados, alicates e chaves de fenda. Três carros e uma moto dos funcionários do instituto teriam sido depredados. O grupo pichou o local com as letras ALF, referência ao grupo de libertação animal Animal Liberation Front.

O delegado titular da delegacia de São Roque, Marcelo Sampaio Pontes, confirmou a ocorrência. Segundo ele, o grupo agiu por volta das 3h, danificou o instituto e chegou a ameaçar atear fogo nos vigias. A Polícia Militar foi acionada, mas quando chegou ao local não havia mais nenhum suspeito no instituto. Ninguém foi detido até o momento.

Em nota, o Instituto Royal lamentou o ocorrido e disse que "vinha mantendo contato com o Conselho Nacional de Experimentação Animal (Concea) para cuidar da destinação correta dos animais que permaneciam no local". Ainda no comunicado, a empresa se queixa da "violência física e moral" de que tem sido vítima.

É impossível não usar animais na pesquisa de medicamentos, diz coordenador do Concea

Jamais foi preciso testar em animais, afirma biólogo que fez vistoria no Instituto Royal

Instituto divulgou imagens da ação ocorrida nesta madrugada

Instituto divulgou imagens da ação ocorrida nesta madrugada

Divulgação/Instituto Royal

Fim das atividades

No dia 6 de novembro, cerca de 20 dias após ser invadido por ativistas e ter cerca de 170 cachorros da raça beagle levados do laboratório da empresa em São Roque, o Instituto Royal informou, em nota oficial, que vai "interromper definitivamente as atividades de pesquisa em animais". A decisão foi tomada em assembleia geral extraordinária realizada entre seus associados.

De acordo com a empresa, "tendo em vista as elevadas e irreparáveis perdas e os danos sofridos em decorrência da invasão realizada no último dia 18 — com a perda de quase todo o plantel de animais e de aproximadamente uma década de pesquisas —, bem como a persistente instabilidade e a crise de segurança que colocam em risco permanente a integridade física e moral de seus colaboradores, os associados concluíram que está irremediavelmente comprometida a atuação do Instituto Royal para dar continuidade à realização pesquisa científica e testes mediante utilização de animais".

Últimas