Homem é executado com 30 tiros na zona leste de São Paulo

Crime ocorreu em frente a um Conjunto Habitacional, no bairro de Itaquera. As câmeras de segurança do local flagraram o momento da execução

Crime ocorreu em frente a um Conjunto Habitacional, no bairro de Itaquera

Crime ocorreu em frente a um Conjunto Habitacional, no bairro de Itaquera

Reprodução

Um homem, de 41 anos, foi executado com mais de 30 tiros na rua Charles Best, altura do número 123, no bairro Fazenda da Juta, zona leste de São Paulo, por volta das 18h deste sábado (27).

Leia também: Mulher é ferida com uma lança em Embu das Artes (SP)

O crime ocorreu em frente ao Conjunto Habitacional Itaquera B.15 - Condomínio Residencial Esperança. Câmeras de segurança flagraram o momento da execução.

O vídeo mostra o momento em que a vítima estava em frente ao condomínio, aparentemente aguardando alguém. Ele vai até o meio da rua, parece tirar foto da fachada do residencial, e retorna para a calçada.

Em certo momento, dois homens encapuzados chegam perto da vítima e iniciam os disparos. Um deles portava uma arma longa e o outro um tipo de revólver.

Leia também: Idosa escravizada em bairro nobre pode ser indenizada em R$ 500 mil

Os criminosos realizam diversos disparos, a maioria na cabeça. A vítima imediatamente cai no chão. Dois homens, que estavam na mesma calçada, correm no momento dos tiros.

O resgate foi acionado e socorreu o homem ao P.S de Sapopemba, onde morreu.

A identidade do rapaz executado não foi revelada pela polícia, mas confirmaram que ele tinha antecedentes criminais e havia deixado a prisão em janeiro deste ano.

Leia também: Caçambeiros fazem protesto em SP após abordagens abusivas

A Polícia Civil iniciou o trabalho de investigação com a análise das câmeras de segurança e com a perícia, que esteve no local. Por já ter passagens pela polícia, os investigadores seguem pela linha da execução por acerto de contas, mas nenhuma hipótese é descartada no início dos trabalhos.

Os IMLs (Institutos Médicos Legais) Leste e Central não atenderam as diversas tentativas de ligação durante a madrugada.

O caso está sendo registrado no 69° DP (Teotônio Vilela). Os investigadores se recusaram a passar informações por telefone.