São Paulo Homem morto com tiro nas costas deveria ser algemado, diz ouvidor

Homem morto com tiro nas costas deveria ser algemado, diz ouvidor

Elizeu Soares Lopes diz que, pelas imagens, vida de policial militar que atirou nas costas de motociclista não parecia estar ameaçada

  • São Paulo | Do R7

Policial atira contra motociclista pelas costas na zona leste de SP

Policial atira contra motociclista pelas costas na zona leste de SP

Reprodução

O ouvidor das polícias de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, afirmou nesta segunda-feira (27), que o ideal, no caso do policial militar que atirou contra um motociclista na zona leste da cidade, na madrugada no sábado (25), seria que o policial fosse ao encontro do condutor da moto, o algemasse e o levasse à delegacia da polícia.

Leia mais: PM de SP receberá 3 mil câmeras para monitorar ações policiais

"O bom protocolo policial é aquele que protege a vida do policial e das pessoas durante abordagem. Nas imagens, não me parece que a vida do policial estava ameaçada", afirmou Elizeu Soares Lopes em relação ao registro das câmeras que mostram a abordagem do policial.

"O ideal seria que o policial fosse ao encontro do condutor da moto, algemasse, levasse pra delegacia pra que ele sofresse as consequencias da lei pelo erro que cometeu", disse o ouvidor. "A ideia do justiçamento é inaceitável para os dias de hoje, ainda mais no estado de direito que vivemos."

Veja também: Sem controle efetivo, retreinar PM é insuficiente para conter abusos

Elizeu Lopes afirmou ainda que "quem comete algum crime, que nós não podemos concordar, tem que sofrer a sanção da lei." A Ouvidoria da Polícia disse que irá requisitar as circunstancias da ocorrência e exames ao IML. O Ministério Público, por sua vez, explicou o ouvidor, deve acompanhar o caso com resultado morte para que não paire dúvidas sobre a atividade policial. 

Ao final da investigação, o ouvidor afirmou que, se ficar provado que o policial exagerou ou arbitrou suas funções, ele poderá sofrer sanção ou ser expulso da corporação. Ainda assim, Lopes alertou que é preciso aguardar o devido processo legal.

O caso

Segundo a Polícia Militar, informações iniciais indicavam que o homem que aparece nas imagens havia roubado uma moto, horas antes de ser abordado pelo policial.

Veja ainda: PM de SP tem 1º semestre mais letal em 25 anos e mata 498 pessoas

Ainda de acordo com a PM, o homem estava acompanhado de outra pessoa. Na hora do roubo, ele estaria armado, mas durante a fuga, teria entregue a arma ao parceiro, que fugiu com a moto. O dono da moto acionou a polícia e passou as características do homem e do veículo roubado.

Durante a fuga, o motociclista passou na frente da 2° CIA do 29° Batalhão de Polícia Militar, localizado na avenida Nordestina com a Rua Américo Gomes da Costa, em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo.

Nas imagens, o suspeito passa em alta velocidade com a moto e rapidamente volta na direção contrária da via. O policial que estava dentro do batalhão, sai e começa a atirar contra o motociclista.

Leia mais: Latrocínios, estupros e roubos caem no 1º semestre na cidade de SP

O PM atira pelo menos duas vezes contra a moto. O homem, então, para o veículo e tenta desembarcar com as duas mãos no guidão. Ao tirar uma das pernas do veículo, o PM atira novamente contra o motociclista, que cai no chão.

Em seguida, chegam mais sete viaturas da Polícia Militar. Segundo a polícia, o suspeito que morreu já tem passagem pela polícia.

Últimas