Hospital do Pacaembu (SP) começa a receber pacientes com covid-19

Estrutura está pronta e tem 200 leitos de baixa e média complexidade. Só serão atendidos casos encaminhados pela rede pública de saúde

Hospital de campanha vai começar a receber os primeiros pacientes com covid-19

Hospital de campanha vai começar a receber os primeiros pacientes com covid-19

Divulgação / Allegra Pacaembu

O Hospital de campanha do Pacaembu, na zona oeste de São Paulo, foi aberto oficialmente nesta segunda-feira (6). Os profissionais de saúde estão prontos para receber os primeiros pacientes diagnosticados com covid-19. As 200 vagas serão controladas pela Secretaria Municipal de Saúde.

A unidade tem portas fechadas ao público e só vai receber pacientes de baixa e média complexidade, transferidos por ambulâncias a partir dos equipamentos de saúde da capital (Hospitais, Pronto Socorros, Unidades de Pronto Atendimento).

Para atender padrões de controle sanitário e biossegurança, toda área do Complexo do Pacaembu está fechada para qualquer pessoa que não trabalhe no local.

Leia mais: Cidades de SP montam hospitais de campanha para combate à covid-19

O hospital tem 200 leitos, destes oito leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para socorrer pacientes que apresentem complicações. A Organização Social da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira do Hospital Albert Einstein será responsável pela administração dos serviços de saúde no local. 

O objetivo do hospital de campanha é liberar os leitos dos hospitais municipais para internação de pacientes com quadros mais graves. São 520 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos e assistentes sociais, divididos em três turnos.

Leitos de observação para pacientes com sintomas mais leves da covid-19

Leitos de observação para pacientes com sintomas mais leves da covid-19

Divulgação / Allegra Pacaembu

Como será o atendimento

Caso o quadro de saúde se agrave, o paciente será encaminhado para um dos leitos de estabilização. Na piora do quadro clínico, o paciente vai para a sala de recuperação e, se necessário, será transferido para um hospital com UTI. Há equipamentos para exames de imagens, incluindo tomografia computadorizada, e laboratório para realização de análises clínicas.

Veja também: São Paulo terá hospitais de campanha no Pacaembu e Anhembi

Segundo a prefeitura, para evitar contaminação, os familiares não terão acesso aos pacientes e nem poderão circular pelo interior do hospital. Eles serão informados sobre o quadro clínico dos pacientes em uma sala e terão apoio psicológico se necessário.

Estrutura

A implantação do hospital teve início no dia 21 de março e foi finalizada no dia 1º de abril. Em média, 250 profissionais participaram da montagem da estrutura. A farmácia de materiais e medicamentos está abastecida, já houve a montagem dos equipamentos e a limpeza do local.

Materiais de proteção aos profissionais e medicamentos estão já no local

Materiais de proteção aos profissionais e medicamentos estão já no local

Divulgação / Allegra Pacaembu

A estrutura tem 6.300 m² de área, onde ficam localizadas as 10 enfermarias e 10 leitos de estabilização. As paredes e pisos dos módulos são laváveis para facilitar a higiene e desinfecção. As instalações têm 30 banheiros com chuveiros. Já o refeitório tem capacidade para servir 350 refeições por período (café, almoço, jantar e ceia) para os profissionais da saúde.

Leia ainda: SP registra 275 mortes pelo novo coronavírus em todo o Estado

Caso o cidadão apresente sintomas de tosse, falta de ar, febre e dor de garganta, é preciso procurar as unidades de saúde mais próximas. O paciente não será atendido diretamente na porta do hospital de campanha.