Investimentos anunciados em SP no 1º trimestre somam R$ 16,5 bi

Maior parte dos investimentos anunciados ocorreram na área de infraestrutura, com 86,4% do montante, o equivalente a R$ 14,3 bilhões

Resultados do 1º trimestre para setor de infraestrutura foram os melhores desde 2015

Resultados do 1º trimestre para setor de infraestrutura foram os melhores desde 2015

Luciano Claudino/Código19/Estadão Conteúdo

Segundo a Pesquisa de Investimentos Anunciados em São Paulo (Piesp), realizada pela Fundação Seade, os recursos alocados em projetos nos setores de infraestrutura, indústria, serviços, agricultura e comércio no Estado de São Paulo somaram R$ 16,5 bilhões no primeiro trimestre deste ano. A Seade, fundação vinculada à Secretaria de Governo do Estado, é responsável por produzir e divulgar análises e estatísticas socioeconômicas e demográficas.

Em nota, o instituto disse que a maior parte dos investimentos anunciados ocorreu na área de infraestrutura, com 86,4% do montante, o equivalente a R$ 14,3 bilhões. Os resultados do 1º trimestre para o setor foram os melhores desde 2015, considerando igual período dos anos anteriores.

Veja também: 7 em cada 10 investidores da Bolsa optam por ações sem lote mínimo

A Seade ainda afirmou que 85% dos investimentos em infraestrutura correspondem ao anúncio da concessionária Eixo SP vencedora da licitação do governo estadual para operar, por 30 anos, o Lote PiPa (Piracicaba-Panorama). A concessão da Eixo-SP envolve a gestão de 1.273 quilômetros de estradas, que interligam 62 municípios do interior paulista até a divisa com o Mato Grosso do Sul.

O consórcio é liderado pela Pátria Investimentos e é composto também pelo fundo soberano GIC, de Cingapura. As obras serão feitas nas regiões de Campinas, Bauru, Central, Marília e Presidente Prudente, mas ainda sem especificação de valor para cada uma delas.

Veja também: 'Reabrir significa suicídio, falência': os donos de bares e restaurantes que decidiram continuar fechados

Por fim, a Seade destacou outros investimentos, como os realizados pelas empresas Bracell (R$ 1 bilhão para modernização de processos produtivos na fábrica de Lençóis Paulista), Superlógica (R$ 300 milhões para expansão das operações da empresa em Campinas) e Meritor (R$ 200 milhões para construção de complexo industrial em Roseira, cidade no interior do Estado).

Restaurantes ficam vazios no 1º dia de reabertura em São Paulo. Veja fotos