São Paulo Isolamento segue abaixo do mínimo após novo rodízio em São Paulo

Isolamento segue abaixo do mínimo após novo rodízio em São Paulo

Medida passou a valer na segunda-feira (11) para tentar estimular adesão a quarentena. Taxa de ocupação dos leitos de UTI na cidade está perto de 90%

Covas: r
odízio pode ser suspenso caso o isolamento social atinja taxa de 60%

Covas: r odízio pode ser suspenso caso o isolamento social atinja taxa de 60%

FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDO - 13.05.2020

O isolamento social segue abaixo do índice mínimo de 55% mesmo após a adoção do rodízio de veículos na cidade de São Paulo. Em todo o estado, o índice também está abaixo da taxa considerada mínima pelo governo para que o sistema de saúde tenha capacidade de atender os pacientes com covid-19.

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

De acordo com Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), em todo o estado de São Paulo, a taxa ficou em 47% na terça-feira (12). Na capital, o índice é de 48%. 

O decreto que regulamenta o novo rodízio foi publicado no dia 7 de maio. Na quarta-feira (6) a cidade chegou a registrar cerca de 50 km de congestionamentos por volta das 19h.

"As pessoas ainda não entenderam o recado da importância de permanecer dentro de casa, não é apenas um ato de higiene, é um ato humanitário, de respeito à vida. Além de restringir a circulação a gente tem um ganho ambiental e um ganho de saúde", afirmou o prefeito na última quinta-feira (7), ao anunciar a medida.

A expectativa da prefeitura é reduzir o fluxo de veículos pela metade.

Leia mais: Novo rodízio de veículos de São Paulo é alvo de ações na Justiça

Quem desrespeitar a norma será multado. Os recursos arrecadados com as multas serão usados no combate à covid-19. Segundo o prefeito, se a cidade chegar a pelo menos 60% de isolamento social, o rodízio poderá ser suspento. Para atingir esta taxa, ele defende a adoção do home office.

Últimas