São Paulo Jovem acusado de roubar motorista de app deixa a prisão em SP

Jovem acusado de roubar motorista de app deixa a prisão em SP

Rapaz de 19 anos com deficiência intelectual foi solto nesta quarta-feira (24), após prisão baseada em reconhecimento facial

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Acusado de roubar motorista de app, Marcos Vinícius foi solto nesta quarta (24)

Acusado de roubar motorista de app, Marcos Vinícius foi solto nesta quarta (24)

Reprodução/Record TV

O jovem Marcos Vinícius Souza, de 19 anos, preso depois de ser acusado de participar do assalto a um motorista de aplicativo, foi solto nesta quarta-feira (24) por decisão da 3ª Vara Criminal de Diadema, na Grande São Paulo.

Na saída do CDP (Centro de Detenção Provisória) da cidade, Marcos Vinícius demonstrou não entender o motivo pelo qual passou 22 dias encarcerado. "Sou um cara inocente. Nunca fiz mal para ninguém", declarou.

Para a família de Marcos Vinícius, a prisão foi injusta e a sua inocência será comprovada. "Eu estou tão feliz, tão feliz de ter ele de volta aqui", comemorou a mãe do jovem, Maria José Souza Santos.

O caso

Marcos foi detido por policiais militares em uma rua perto da casa onde mora, suspeito de praticar o crime junto com dois adolescentes. No 3º DP (Distrito Policial) da cidade, ele foi reconhecido pela vítima "com certeza e sombra de dúvida", segundo a polícia.

Porém, em entrevista concedida ao Núcleo de Jornalismo Investigativo da Record TV, o motorista de app mudou a afirmação feita à Polícia Civil e disse que não tinha certeza sobre a identificação dos ladrões. A vítima procurou o Ministério Público para mudar o seu depoimento.

Arma apreendida gera polêmica

O rapaz, que possui deficiência intelectual — conforme apontam laudos médicos entregues à polícia pela família —, ainda deverá responder pela acusação. A Justiça deverá analisar outras provas no processo em que Marcos Vinícius é réu, acusado de roubo, receptação de um celular e porte ilegal de uma arma.

No registro da ocorrência, os PMs relataram que, no momento da abordagem, o rapaz teria corrido e, depois de capturá-lo, um dos policiais havia percorrido o trajeto da fuga e encontrado uma pistola que Marcos Vinícius teria jogado fora.

O professor de gestão pública da FGV (Fundação Getúlio Vargas) e membro do FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) Rafael Alcadipani avalia que a informação dos policiais militares sobre a arma utilizada no assalto deixa dúvidas. 

"Por se tratar de um jovem em condições especiais, me parece que é preciso pelo menos investigar a fundo se os policias estão falando a verdade. Soa um pouco curioso que um jovem nessas condições estivesse com uma arma na mão", disse o especialista.

A advogada Michelle Magarotto contesta as informações registradas no boletim de ocorrência. O documento é considerado "muito contraditório" pela defesa do acusado.

"A investigação me parece a pouco a toque de caixa. A defesa é tecnica. A gente trabalha com prova. E é isso que estamos buscando. Levantar todas as provas do caso para provar efetivamente a inocencia do vinicius", complementou.

Últimas