São Paulo Jovem agredida por modelo em SP exibe marcas: 'A cicatriz fala comigo'

Jovem agredida por modelo em SP exibe marcas: 'A cicatriz fala comigo'

Há seis meses, Milka Borges teve o resto desfigurado após a modelo Fernanda Bonito atirar um copo nela no banheiro de um restaurante de luxo

  • São Paulo | Priscilla Doroche, da Record TV

Milka Borges mostra evolução do tratamento após a agressão

Milka Borges mostra evolução do tratamento após a agressão

Reprodução/Record TV

Seis meses depois de ter o rosto desfigurado ao ser agredida no banheiro de um restaurante de luxo no Jockey Clube de São Paulo, a corretora Milka Borges ainda exibe no rosto as marcas dos cortes que sofreu.

“A gente acorda todo dia com a realidade no nosso rosto”, diz Milka, que é corretora de imóveis. “E é justamente de manhã que eu sinto bastante. A cicatriz fala comigo durante o dia.”

Foram diversas cirurgias no rosto, remoção de coágulos, lipoaspiração e massagens na face, perda de movimentos, um rosto sendo reconstruído, após uma agressão. Essa é a realidade diária de Milka Borges ao ver a imagem de como o rosto ficou após a agressão, e como está hoje ela lembra tudo que passou, e ainda vai passar. 

Na noite de 11 de janeiro, Milka foi agredida por outra mulher no banheiro de um restaurante de luxo em São Paulo. A modelo Fernanda Bonito, segundo Milka,  jogou um copo de vidro no seu rosto. Seis meses depois, Milka ainda sente dores.

"É difícil porque dói a gente tem bastante procedimentos todos os dias. Minha vida está voltada aos medicamentos e procedimentos estéticos, porque senão tem muita fibrose. Acabei de fazer uma nova cirurgia e deu algumas fibroses para tirar os coágulos que ficaram restantes. Então, tem que tirar estas fibras que ficarão é doloroso".                           

Com tristeza ela diz que algumas das cicatrizes não vão sair do rosto.

"Realmente pelas questões médicas não vai sair mais esta cicatriz. Vai sempre ficar. Então duvido a gente esquecer isso aí um Dia "

Milka afirma que foi agredida pela namorada do irmão de um dos proprietários do restaurante. “Ela saiu do banheiro, nisso eu continuei. Aí veio o segurança com tudo. Ela pegou o copo da mão e tacou na minha cara ".

A corretora conta ainda que em nenhum momento recebeu qualquer ajuda ou foi procurada pela agressora ou por alguém que a representasse.

Mesmo sem poder trabalhar, ela relata que todos os custos para reconstrução do rosto estão sendo bancados por ela, e pela família.  Ela busca na justiça uma indenização e que a culpada pague pelo que fez.

A Record TV entrou em contato com o advogado de Fernanda Bonito e com o restaurante, mas não obteve retorno. Em entrevista ao Domingo Espetacular, Fernanda se disse arrependida (veja abaixo).

Últimas