São Paulo Jovem escalpelada em acidente de kart passa por 10 horas de cirurgia

Jovem escalpelada em acidente de kart passa por 10 horas de cirurgia

Procedimento começou às 7h40 e se encerrou às 17h no Hospital Especializado de Ribeirão Preto. Jovem ficará em Centro de Terapia Intensiva

Jovem escalpelada em acidente de kart passa por 10 horas de cirurgia

Débora passa por 4ª cirurgia em Hospital Especializado de Ribeirão Preto

Débora passa por 4ª cirurgia em Hospital Especializado de Ribeirão Preto

Divulgação

A jovem pernambucana Débora Stefanny Dantas de Oliveira, de 19 anos, que teve o couro cabeludo e parte do rosto arrancados em um acidente em uma pista de kart, localizada no estacionamento de um supermercado no bairro de Boa Vista, na zona sul de Recife, passou por uma cirurgia de quase 10 horas.

De acordo com o Hospital Especializado de Ribeirão Preto, em que está internada desde domingo (18), a jovem entrou em sala para procedimento de anestesia por volta das 6h e começou a microcirurgia reconstrutiva às 7h40. 

Leia mais: "O maior sonho dela é ser médica", diz noivo de jovem escalpelada

A cirurgia, considerada um procedimento de grande porte, é chamada de retalho microcirúrgico realizado em casos de reconstrução de cabeça e pescoço. Pelo menos dez profissionais participaram do procedimento. Entre eles, médicos, microcirurgiões, enfermeiros, auxiliares, entre outros.

A primeira previsão era para que o procedimento se encerrasse entre 14 e 15 horas. Às 14h30, o hospital informou que a microcirurgia se estenderia até às 17h em função da alta complexidade. 

O procedimento já é o terceiro realizado no Hospital Especializado de Ribeirão Preto. Débora passou por uma cirurgia de pálpebra na quinta-feira (22). Agora, ela deverá permanecer por pelo menos 48 horas no Centro de Terapia Intensiva do hospital em recuperação.

Eduardo Tumajan, noivo da jovem, a acompanha desde que o momento do acidente. A parte da cabeça de Débora foi levada por Eduardo em uma sacola plástica para o hospital. "Estou me tremendo até agora. Durmo chorando, é uma dor inimaginável. Ela quem me dá força. O pessoal acha que eu vou lá dar forças a ela, mas, na verdade, ela quem me dá", afirmou o noivo.

Um dos médicos que participou da cirurgia é Marco Maricevich, que chegou a Ribeirão Preto, na quinta-feira (22), para integrar a equipe de microcirurgia reconstrutiva.

Marco Maricevich, por intermédio do irmão e médico do hospital Pablo Maricevich, acompanhou os primeiros procedimentos por meio de videoconferência no Hospital da Restauração, em Recife.