São Paulo Jovem escapelada em kart vai escrever livro sobre sua trajetória

Jovem escapelada em kart vai escrever livro sobre sua trajetória

Segundo noivo, Débora Oliveira gosta de escrever e tem outras publicações em formato de diário. Tratamento da jovem deve durar dois anos

Débora de Oliveira se prepara para escrever livro sobre sua trajetória

Débora de Oliveira se prepara para escrever livro sobre sua trajetória

Reprodução Record TV

A jovem pernambucana Débora Stefanny Dantas de Oliveira, de 19 anos, que teve o couro cabeludo e parte do rosto arrancados em um acidente em uma pista de kart, localizada no estacionamento de um supermercado no bairro de Boa Vista, na zona sul de Recife, vai escrever um livro sobre sua trajetória de vida.

"Ela já me contou o título, mas pediu segredo", afirma Eduardo Tumajan, noivo da jovem que a acompanha desde o dia em que sofreu o acidente. "Ela vai começar a escrever aqui no hospital. É boa escritora e já tem livros em Recife, que começaram como diários", diz.

Leia mais: "O maior sonho dela é ser médica", diz noivo de jovem escalpelada

A jovem passou por uma grande cirurgia no sábado (24). O procedimento levou cerca de 10 horas. Desde então, Débora ainda está no Centro de Terapia Intensiva. De acordo com o noivo, não há previsão de ir para o quarto ou sair do hospital. "Ela ainda precisa se recuperar para passar por outra grande cirurgia. São dois anos de tratamento."

Eduardo conta que os outros livros de Débora contém relatos e histórias de vida dela. "São situações que ela já passou", afirma. "Ela gosta muito disso, de estudos, de colecionar canetas. Eu falo que ela não gosta muito de academia, mas sempre gostou de escrever. As coisas dela estão na nossa casa."

Rotina de hospitais

Em entrevista ao R7, Eduardo afirmou que o casal não pensa em futuro, apenas no presente. "A gente só pensa no agora que é tratar a saúde dela." Débora passou por duas cirurgias no Hospital da Restauração, em Recife, com duração de cinco e sete horas.

Após o acidente, a parte do corpo de Débora foi levada por Eduardo em uma sacola plástica para o hospital. "Estou me tremendo até agora. Durmo chorando, é uma dor inimaginável. Ela quem me dá força. O pessoal acha que eu vou lá dar forças a ela, mas, na verdade, ela quem me dá", afirmou o noivo.

Segundo a assessoria do hospital, houve a necessidade de um novo procedimento após o aparecimento de novos microtrombos, que poderiam ocasionar a rejeição total das células. O primeiro procedimento não teria sido tão bem sucedido pelo fato de a pele ter chegado ao hospital contaminada.

O cirurgião plástico, especialista em microcirurgia reconstrutiva que integra a equipe do Hospital Especializado de Ribeirão Preto pela jovem pernambucana, Alex Boso Fioravanti, informou que não nascerá mais cabelo na cabeça de Débora. "O folículo piloso (estrutura dérmica capaz de produir pelo) estava no couro cabeludo, que foi perdido, por isso não crescerá mais cabelo", explica. A saída, conta o médico, é prótese capilar.

Débora passou por quatro cirurgias no Hospital Especializado, onde está internada desde o domingo (18).