Jovem resgata idosas que viviam em condições precárias em casa de SP

Um dia depois do relato nas redes sociais, equipes do Samu e da Secretaria de Assistência Social encaminharam irmãos ao Pronto Socorro de Mairinque

Idosas são resgatadas por jovem em Mairinque: "se arrastava pela casa"

Idosas são resgatadas por jovem em Mairinque: "se arrastava pela casa"

Reprodução Facebook

Em uma casa simples, sem água e sem móveis, localizada na Estrada da Cefri, em Mairinque, em São Paulo, duas idosas foram regatadas em condições subumanas por uma jovem na tarde da terça-feira (22). Na cozinha, havia apenas um fogão à lenha e uma pia. Em outro cômodo, as irmãs Alice e Brasiliana Duarte, de 84 e 75 anos, estavam deitadas sobre o colchão. "Comecei a chorar pensando em como elas conseguiam sobreviver naquela situação de abandono", disse Rafaela Pinheiro, de 23 anos.

Leia mais: Idosos viviam em condições precárias em asilo clandestino

A técnica em logística descreveu em uma publicação nas redes sociais o momento e a situação precária em que encontrou as idosas. "Assim que cheguei do trabalho, passei em casa, falei com meus pais e fomos levar sopa para elas", disse. "Encontrei uma delas caída no quintal, tentando se arrastar para dentro de casa."

Após o relato de Rafaela, as idosas foram resgatadas na quarta-feira (23) por equipes do Samu e da Secretaria de Assistência Social da cidade e encaminhadas ao Pronto Socorro Municipal. Segundo a Prefeitura de Mairinque, Alice está bem e tem se alimentado normalmente. Já Brasiliana está sob observação médica por não se alimentar.

Na terça-feira, quando se depararam com as mulheres, a jovem relata que ela e a mãe pegaram uma delas no colo para colocá-la no colchão no quarto ao lado de sua irmã. "Ela tão simples falava: 'não me pega porque eu estou suja, vou sujar vocês. Desabei de chorar naquela situação", diz Rafaela. Segundo a jovem, uma delas não andava e a outra aparentava sinais explícitos de fraqueza. "Está tão fraquinha que não aguenta o peso do próprio corpo e se rasteja tentando ajudar a irmã debilitada."

Idosa que vivia em condições precárias em Mairinque é resgatada

Idosa que vivia em condições precárias em Mairinque é resgatada

Reprodução Facebook

"Elas reclamaram que os pés estavam gelados e eu e minha mãe tiramos nossas meias e demos para elas, que não sabiam como agradecer", diz a estudante. "Partiu meu coração deixar elas naquela situação. Uma delas perguntou se voltaríamos no dia seguinte. Eu respondi que sim para levar o café da manhã e para tirá-las de lá."

Leia mais: Dona de asilo é presa suspeita de torturar idosos em Santa Luzia (MG)

Na quarta-feira (23), a mãe de Rafaela, Elisabete Rodrigues, levou o café da manhã enquanto uma amiga tentou conseguir assistência social e encaminhamento ao pronto socorro de Mairinque. A ideia de Rafaela é que, caso permaneçam na mesma casa, seja organizado um mutirão para ajuda-las a limpar a casa com a doação de roupas e móveis.

Por meio de nota, a administração municipal afirmou que o Conselho Municipal do Idoso tem acompanhado esta situação e tenta fazer o encaminhamento das mulheres ao Asilo São Vicente de Paula. Segundo eles, a dificuldade é que, para fazer a transferência para este serviço de acolhimento, é necessário um responsável.

"O Conselho Municipal do Idoso, junto com a Secretaria de Assistência Social, tem feito o acompanhamento, elas haviam sido visitadas anteriormente e o homem que se apresentou como irmão, e que tinha posse do cartão beneficiário delas, havia se comprometido em cuidar das idosas."

Rafaela afirmou que costumava passar pela calçada das duas idosas, que moram perto da linha do trem da Estrada do Cefri. "Desde pequena sempre as via passar para fazer compras no mercadinho do bairro e, ultimamente, apenas uma delas fazia o trajeto. Depois de um tempo não as vi mais. Mal sabia que elas passavam por essas dificuldades", disse.