Justiça de SP condena CPTM a pagar R$ 7 mil para passageira molestada

CPTM foi condenada por danos morais por caso que aconteceu em outubro de 2011. Companhia diz que "repudia o abuso sexual"

CPTM diz que repudia o abuso sexual

CPTM diz que repudia o abuso sexual

Willian Moreira/Futura Press/Folhapress

A Justiça de São Paulo condenou, na última segunda-feira (22), a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) por danos morais, e a empresa deve pagar R$ 7 mil para uma passageira que foi molestada dentro de um trem em outubro de 2011.

Segundo a decisão do juíz Felipe Poyares Miranda, na 16ª Vara Cível de São Paulo, a vítima sofreu assédio sexual dentro de um dos trens.

Leia também: Importunação sexual vira crime, com pena de até 5 anos

Procurada pela reportagem, a CPTM disse que "repudia o abuso sexual dentro e fora dos trens". A companhia disse ainda que vai recorrer da decisão e afirma que "em cerca de 80% dos processos semelhantes, a Justiça considera que a CPTM não é responsável pelo ato doloso de terceiros".

A companhia diz que "nos últimos anos, foram intensificados os treinamentos dos empregados das áreas de segurança e operação específico para atendimento às vítimas de abuso sexual e as campanhas de conscientização para estimular as denúncias".

A CPTM afirma que em casos de ocorrência, a vítima deve informar o fato imediatamente a um funcionário e indicar o autor, para que o suspeito seja levado a uma delegacia para formalizar um boletim de ocorrência.

Leia mais notícias de São Paulo

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para denuncia@r7.com

*Com colaboração de Kaique Dalapola, do R7