São Paulo Justiça de SP decreta prisão de homem que jogou carro contra mulher e tentou matá-la com ferro

Justiça de SP decreta prisão de homem que jogou carro contra mulher e tentou matá-la com ferro

Marcos da Silva Correia, de 37 anos, atingiu uma das filhas do casal, de 8 anos. Ela precisou passar por cirurgia, mas está bem

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Homem jogou carro contra o veículo da ex-mulher na zona leste de São Paulo

Homem jogou carro contra o veículo da ex-mulher na zona leste de São Paulo

Reprodução

A Justiça de São Paulo decretou, nesta terça-feira (19), a prisão temporária de Marcos da Silva Correia, o homem que jogou um carro contra o veículo em que estavam as três filhas, a ex-mulher e o atual namorado dela na noite de sexta-feira (15), na região do Jardim Tietê, zona leste de São Paulo. A Polícia Civil realiza diligências para encontrá-lo, mas afirmou que ele é considerado foragido. 

Além de ter jogado o carro contra o veículo, Marcos da Silva, de 37 anos, tentou matar a ex-mulher com uma barra de ferro. Uma das filhas do casal, de 8 anos, foi atingida durante a agressão e precisou ser socorrida.

A tentativa de feminicídio teria se dado em razão de a ex-mulher estar namorando. Ela chegava em casa com as filhas e o atual namorado quando Marcos da Silva atingiu o veículo em que ela estava.

Após causar a colisão, o homem pegou uma barra de ferro para atacar a mulher, momento em que a filha foi atingida. Depois de cometer o crime, Marcos deixou o veículo em que estava e fugiu a pé. Desde então, ele não foi localizado.

Cerca de 30 minutos antes da agressão, a mulher havia ido à 8ª Delegacia de Defesa da Mulher (São Mateus) para registrar um boletim de ocorrência contra o ex-marido, que havia mandado mensagens ameaçadoras pelo telefone da filha. "Se eu souber que sua mãe está namorando, eu vou matar ela", dizia a mensagem.

Ela também pediu a concessão de medida protetiva de urgência contra Marcos. Criada pela Lei Maria da Penha, a medida visa proteger a integridade das vítimas de violência doméstica. A filha do casal, de 8 anos, que ficou ferida durante a agressão, passou por uma cirurgia e está bem.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio. Em entrevista à Record TV, Jamila Jorge, coordenadora das delegacias de defesa da mulher, relatou que nos últimos cinco anos houve um aumento de 43% no número de agressores de mulheres que foram presos no estado de São Paulo.

Só no último ano, aumentou em 10 mil o número de ordens judiciais para proteger vítimas de agressões físicas e psicológicas. Esse aumento, de acordo com a delegada, reduziu em 25% o número de mortes.

Últimas