São Paulo Justiça de SP prevê multa de R$ 1 mi aos metroviários em nova greve

Justiça de SP prevê multa de R$ 1 mi aos metroviários em nova greve

Juiz da 32ª Vara Cível acata pedido de liminar da Companhia do Metropolitano para evitar mais paralisações da categoria

  • São Paulo | Marcos Rosendo, da Agência Record

Passageiros aguardam na plataforma da Estação da Luz

Passageiros aguardam na plataforma da Estação da Luz

Edson Lopes Jr./R7 - 12.04.2021

O Tribunal de Justiça de São Paulo estabeleceu nesta quinta-feira (20) uma multa de R$ 1 milhão ao Sindicato dos Metroviários, caso a categoria decida por nova greve na cidade.

O juiz da 32ª Vara Cível, Fabio de Souza Pimenta, acatou o pedido de liminar solicitado pela Companhia do Metropolitano de São Paulo.

De acordo com o magistrado, nenhuma negociação salarial é razoável para justificar uma greve que afetou 4 milhões de paulistanos, que ficaram em situação de risco na pandemia da covid-19.

"A greve é capaz de agravar sobremaneira a disseminação do vírus entre a população, que, sem a opção desse serviço, terá que se aglomerar", sustentou Fábio de Souza Pimenta.

O juiz argumentou no despacho que há evidências, de que a greve, possivelmente, é abusiva e ilegal por causar a paralisação de um serviço público essencial.

Os metroviários iniciaram a greve à meia noite de quarta-feira (18) e o Metrô funcionou parcialmente em alguns trechos de ramais. No final da noite, em assembleia, a categoria aceitou parte dos termos apresentado pela Justiça do Trabalho na reunião de conciliação, e encerrou a greve.

Os metroviários, no entanto, continuam em negociação com a empresa, em pontos específicos do acordo coletivo, e não descartam uma nova paralisação.

Últimas