São Paulo Justiça nega habeas corpus a suspeito de atear fogo a Borba Gato

Justiça nega habeas corpus a suspeito de atear fogo a Borba Gato

Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como Galo, foi transferido para o CDP do Belém, na zona leste de SP, no último sábado

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Incêndio ocorreu no último dia 24 de julho

Incêndio ocorreu no último dia 24 de julho

Gabriel Schlickmann/Ishoot/Estadão Conteúdo - 24.07.2021

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) negou o pedido de habeas corpus ao Paulo Roberto da Silva Lima, conhecido como Paulo Galo, neste domingo (8). A defesa do suspeito de atear fogo à estátua de Borba Gato, na zona sul de São Paulo (SP), irá recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Galo foi transferido ao Centro de Detenção Provisória do Belém, na zona leste da capital, por volta das 14h de sábado (7), segundo seu advogado, Jacob Lozano Filho.

Jacob também faz a defesa do torcedor corintiano Danilo Silva Oliveira, conhecido como Biu, que se apresentará no 11° Distrito Policial de Santo Amaro às 17h desta segunda-feira (9). Ele também teve seu pedido de HC solicitado ao STJ.

Já o motorista Thiago Vieira Zem, permanece na carceragem do 101° Distrito Policial do Jardim Imbuias, na manhã desta segunda-feira (9), aguardando a transferência ao mesmo CDP.

Na última quinta-feira (5), o Superior Tribunal de Justiça havia revogado a prisão temporária de Paulo Galo.

No entanto, a Justiça de São Paulo acatou o pedido de prisão preventiva, expedida pelo 11º DP de Santo Amaro, o que fez com que o entregador continuasse preso e os outros dois detidos.

Últimas