São Paulo Laudo indica que menino Luan foi atropelado por trem no Metrô de SP

Laudo indica que menino Luan foi atropelado por trem no Metrô de SP

Imagens mostram silhueta de criança em túnel e aponta "observou-se no solo entre os trilhos manchas de substância do tipo hematóide"

Imagem de laudo mostra criança caída nos trilhos do Metrô de SP

Imagem de laudo mostra criança caída nos trilhos do Metrô de SP

Reprodução SSP

Um laudo do Instituto de Criminalística divulgado nesta segunda-feira (11) indica que um trem do metrô atropelou Luan Silva Oliveira, de 3 anos, na estação Santa Cruz, na linha 1-Azul. O caso ocorreu em 23 de dezembro do ano passado, às 9h30.

As imagens mostram os momentos em que a criança, que estava sentada no colo da mãe, sai inesperadamente do vagão e a mãe tenta resgatá-la, mas as portas do trem se fecham e ela não consegue segurar a criança. O vídeo mostra ainda o momento que a criança entra no túnel e aparece nos trilhos, aparentemente, tentando sair do local, quando é atropelado pelo trem.

Leia mais: Luan ficou 4 minutos no túnel do Metrô de SP antes de morrer

O laudo demonstra, segundo o advogado que acompanha as investigações, Ariel de Castro Alves, que no acesso ao túnel do Metrô, por onde Luan teria entrado, há um pequeno portão sem travamento no qual bastaria “uma leve pressão para passar pelo local.” “Podemos concluir que o Metrô de São Paulo é um local de risco para crianças.”

Segundo Castro Alves, o laudo mostra que a mãe da criança, Linéia Oliveira Silva, tentou correr atrás de Luan, mas a porta imediatamente se fechou e o trem seguiu sentido Jabaquara. “Ela fez o que estava ao alcance dela e não tem culpa pela tragédia que ocorreu com seu filho. As imagens também confirmam o depoimento de Lineia na Delegacia do Metrô no início do ano.”

Leia mais: Metrô demorou uma hora para aprovar buscas de menino em túnel

O advogado afirma ainda que é necessária uma reconstituição para verificar porque teria ocorrido uma demora entre o pedido dos funcionários para procurarem a criança no túnel e a autorização do Metrô. O intervalo seria, segundo ele, de 35 minutos.

Sangue nos trilhos

Imagem de laudo mostra sangue nos trilhos da malha

Imagem de laudo mostra sangue nos trilhos da malha

Reprodução SSP

O laudo realizado pelo Instituto de Criminalística de São Paulo mostra Linéia sentada com Luan no colo. Até que uma mochila posicionada a sua frente no chão do trem cai. Nesse momento, a criança se solta de seus braços e uma senhora sentada no acento em frente se abaixa para arrumar a mochila. 

Leia mais: Luan: sindicato diz que Metrô é responsável pela morte do menino

Uma segunda criança sentada ao lado de Linéia tenta passar em direção ao corredor, quando Luan se solta definitivamente dos braços de Linéia e corre em direção à porta do vagão. A mãe se levanta rapidamente e caminha em direção ao filho. Nas imagens é possível ver que ele já não está na composição. 

Os demais passageiros olham para a mãe e um deles se levanta para tentar ajudá-la. Na estação seguinte, Linéia desce do vagão a procura do garoto. Na sequência, outra imagem mostra a silhueta de uma criança posicionada ao lado da plataforma, entrando pelo túnel do metrô.

As imagens seguintes mostram um trem que chega a estação Santa Cruz, mas com a saída dos passageiros não é mais possível ver a silhueta da criança. Por fim, o laudo apresenta uma imagem de uma possível silhueta de criança no trilho do Metrô. "Observou-se no solo entre os trilhos manchas de substância do tipo hematóide. 

O R7 entrou em contato com o Metrô de São Paulo para comentar o laudo, mas não recebeu retorno até a publicação da reportagem.