Laudo mostra que duas vítimas morreram asfixiadas em baile funk

Morte pode ter sido causada pelo pisoteamento ou por agressão. Laudos necroscópicos de todos as vítimas serão revelados em breve pela polícia

Tragédia em baile funk fez nove vítimas, entre 14 e 23 anos de idade

Tragédia em baile funk fez nove vítimas, entre 14 e 23 anos de idade

Reprodução Redes Sociais

O laudo necroscópico de duas das nove vítimas do tumulto no Baile da 17, em Paraisópolis, após ação da Polícia Militar, indica que estas vítimas morreram por asfixia mecânica. O pisoteamento ou alguma agressão poderiam estar entre as causas da morte neste caso, que não tiveram mais detalhes revelados. As informações são da Record TV

Leia mais: 'Foi horrível, estavam agredindo sem dó', diz MC sobre Baile da Dz7

O pisoteamento é apontado pelos agentes que estiveram na ocorrência como a causa da morte dos nove jovens na madrugada do último domingo (1). Uma investigação na Corregedoria da Polícia Militar apura o episódio, assim como um inquérito, a partir do do DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Como parte das investigações sobre a tragédia, os vídeos produzidos por moradores da região serão periciados para que se determine quando foram gravados. Novas imagens de ações policiais violentas na comunidade já causaram o afastamento de outro policial, que foi gravado agredindo pessoas indefesas. O episódio, porém, foi gravado em outubro deste ano, segundo a polícia.

Leia mais: Mortes por pisoteamento e espancamento são parecidas

André Baitello, cirurgião, explicou que o pisoteamento poderia matar as vítimas em casos de pisões fortes no pescoço, ao "afundar a traqueia, matando a pessoa por asfixia". Ele afirmou que são necessários mais detalhes sobre as lesões, que detalhariam o tipo de agressão sofrida pelas vítimas.

Desde janeiro 2019, a PM realizou 7.597 operações em bailes funks e pancadões, em mais de 14 mil pontos. As ações mobilizaram 95.706 policiais e 37.445 viaturas, o que resultou na prisão de 1.275 pessoas e mais de 1,7 tonelada de drogas apreendida, de acordo com dados fornecidos pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública).