Lojas e shoppings de SP abrem com horários escalonados, mas há filas

Shopping popular no centro registra fila para entrada na manhã desta quinta. Público tinha temperatura medida e passava álcool em gel para acesso

Fila sem o distanciamento ideal para entrada em shopping popular de SP

Fila sem o distanciamento ideal para entrada em shopping popular de SP

Reprodução / Record TV

Shoppings populares reabriram na manhã desta quinta-feira (11) após assinatura de protocolos entre os setores e a Prefeitura de São Paulo. O comércio, no entanto, terá o horário de funcionamento escalonado para evitar aglomerações e sobrecarga do transporte público na capital.

A Record TV flagrou uma fila de cerca de 50 metros para entrada do público em um shopping popular da rua 25 de Março, na região central de São Paulo. O distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas não era respeitado. Este tipo de estabelecimento pode operar das 6h às 10h seguindo as recomendações de segurança para funcionários e compradores.

Leia mais: Oscar Freire e Bom Retiro têm movimento fraco em reabertura

Já na entrada, o consumidor tinha a temperatura medida e passava álcool em gel nas mãos. Havia também o controle de acesso porque os shoppings só podem funcionar com 20% da capacidade. Praças de alimentação ficam fechadas.

Os compradores são comerciantes que vão aos centros populares para adquirir mercadoria para revenda.

As lojas de rua só podem abrir entre 11h e 15h. Já os shoppings tradicionais vão retomar as atividades na véspera do Dia dos Namorados das 16h às 20h.

Classificada na segunda fase da pandemia segundo o Plano São Paulo, a capital já autorizou a retomada de concessionárias, escritórios, imobiliárias e comércios. As duas primeiras categorias foram reabertas no dia 6, enquanto as duas últimas tiveram autorização concedida no dia 9.

Veja também: Governo de SP é reativo ao adotar protocolos contra pandemia

Para obter autorização da prefeitura e da Vigilância Sanitária, as entidades tiveram que apresentar novos protocolos de venda, se comprometendo a cumprir medidas de distanciamento social, higiene, limpeza de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, testagem de funcionários e medição de temperatura dos clientes.

"As lojas que estão dentro do shopping têm de seguir as mesmas regras de higiene que as lojas fora do shopping também têm de atender", disse o prefeito Bruno Covas (PSDB). "Ainda estamos em quarentena, peço para a população utilizar máscara e evitar sair de casa. Discutir os protolocos com os setores é a forma que dá mais tranquilidade que a gente não vá retroceder à fase anterior", completou.

Leia ainda: SP tem trânsito lento e transporte cheio na 1ª tarde de reabertura

Cinemas, teatros e praças de alimentação continuam fechados para o atendimento ao público, mas os restaurantes podem operar com serviços de delivery. Já os supermercados, farmácias e laboratórios clínicos no interior desses estabelecimentos não precisam respeitar o limite de horas e podem operar o dia todo.

A negociação feita pela prefeitura determina que os centros de compras não podem abrir e fechar nos horários de pico (das 7h às 10h e das 17h às 20h).