São Paulo Mãe de menino morto no Metrô fala após decisão de pensão vitalícia

Mãe de menino morto no Metrô fala após decisão de pensão vitalícia

'É o justo pra eles não ficarem impune', conta Linea Oliveira Silva, que viu o filho Luan escapar de vagão antes de ser atropelado por composição em SP

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

A mãe do menino de 3 anos que morreu atropelado por uma composição do Metrô de São Paulo falou pela primeira vez desde que ganhou na Justiça o direito à pensão vitalícia.

Leia também: Mãe de menino atropelado no Metrô não pôde ver as imagens da câmera

Luan tinha 3 anos quando foi atropelado

Luan tinha 3 anos quando foi atropelado

Reprodução

O benefício só será extinto no aniversário de 65 anos de Luan ou com a morte da mãe. Linea Oliveira Silva também terá direito a indenização de R$ 200 mil. “É o justo pra eles não ficarem impune. Eu sei que não vai trazer de volta, mas pra não acontecer mais com outras crianças o que aconteceu com ele”, diz Linea.

Ela não esquece dos últimos momentos ao lado do filho Luan. A bolsa dela caiu no chão e, quando se abaixou pra pegar, o menino escapou. Ele ainda correu para a plataforma. Em seguida, a porta se fechou.

Veja também: "Ele escapou da minha mão", diz mãe de menino atropelado no Metrô

Mãe e passageiros se desesperaram. O menino tentou ir atrás do trem, caiu nos trilhos, se levantou e foi atropelado. “Foi muito forte, eu tive que ter força”, desabafa a dona de casa. “No instante em que ele escapuliu, se tivesse segurança na hora que ele saiu, estava até hoje vivo.”

O acidente, que está prestes a completar dois anos, aconteceu na estação Santa Cruz, na zona sul de São Paulo. Na sentença, a juiza diz que houve omissão culposa por falha na segurança. A criança ultrapassou com facilidade a cancela, que não tinha nenhum mecanismo de travamento ou vedação. Também não havia vigilância na plataforma pra tentar impedir o acidente.

Linea estava grávida na época do acidente e perdeu o bebê. No processo, a companhia alegou que o acidente aconteceu porque a mãe se descuidou. A empresa de transporte, que ainda pode recorrer, informou que só vai se manifestar nos autos do processo judicial.

Últimas