São Paulo Mãe investigada por maus-tratos ameaçou filha com chumbinho

Mãe investigada por maus-tratos ameaçou filha com chumbinho

Menina de 7 anos relatou à polícia que não era alimentada pela mãe e que procurou comer a partir de restos de comida no lixo

  • São Paulo | Do R7

Menina relatou que não comia nada há pelo menos dois dias

Menina relatou que não comia nada há pelo menos dois dias

Reprodução

A mulher investigada por maus-tratos contra a própria filha, de 7 anos, em Guarulhos (SP), ameaçou a menina com chumbinho para que ela não comesse comida no lixo. A garota relatou à polícia que procurava restos para comer porque passava fome e não estava sendo alimentada pela mãe. 

Record TV teve acesso ao áudio gravado pela vizinha, que fez a denúncia a policiais militares na noite desta terça-feira (4). “Na minha casa não quero que você entre, e não coma o que jogo no lixo. Faz cara de vítima para mim só porque sou mulher. Eu quero ver até quando vai. Eu vou por chumbinho, eu vou por chumbinho, só para te avisar”, gritava a mulher no momento registrado em áudio pela vizinha.

A mãe prestou depoimento na delegacia e foi liberada. Ela é investigada por maus-tratos. A criança está sob os cuidados de um casal de primos da mãe.

O Conselho Tutelar foi acionado. O caso foi registrado como maus-tratos pelo 7º DP da cidade, que solicitou exames ao IML (Instituto Médico Legal) para a vítima.

Segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública), uma outra criança, um menino de 5 anos, também era vítima de maus-tratos, mas não foram informados detalhes sobre a situação dele.

O caso

Após denúncia de uma vizinha nesta terça-feira (4), uma mulher está investigada por maus-tratos à própria filha, de sete anos, no bairro de Cumbica, em Guarulhos.

Equipes de polícia estavam se deslocando para uma ocorrência policial quando encontraram uma mulher que pediu ajuda. Ela disse que sua vizinha agredia violentamente a própria filha. A mulher ressaltou que, minutos antes, havia gravado os gritos da criança por meio de um áudio e mostrou aos policiais.

No endereço, a mãe da criança negou o ato à Polícia Militar. As equipes, então, pediram que a mulher apresentasse a criança. Os agentes então notaram as marcas de agressões no rosto, cabeça, nariz e mãos da menina. A garota estava física e psicologicamente abalada.

A criança relatou aos agentes que foi violentada sexualmente pelo pai, quando era mais nova, e que fazia tratamentos psicológicos por conta disso, e também disse aos policiais que não se alimentava há pelo menos dois dias, e por isso precisou buscar restos de alimentos no lixo da casa vizinha por estar faminta. A garota contou ainda que quando a mãe quer castigá-la, por algum motivo, a coloca de joelhos na cozinha, durante toda a madrugada, com as luzes acesas, a privando de dormir.

A criança também foi agredida com pedaços de mangueira, socos e chutes. A mãe foi conduzida ao 7º Distrito Policial, de Guarulhos, junto com a vizinha, que testemunhou os fatos. A criança foi socorrida até a Unidade de Pronto Atendimento Cumbica, onde o médico constatou lesões nas costas, tórax, barriga, face, cabeça, nos dois braços, nas duas pernas, pés e mãos.

A equipe médica solicitou exames e prescreveu medicações. A mãe não ficou presa e será investigada por maus-tratos. O delegado solicitou apoio do Conselho Tutelar, que deixou a criança sob os cuidados de um casal de primos da mãe.

Últimas