Novo Coronavírus

São Paulo Mais 500 mil doses prontas da CoronaVac já estão em São Paulo

Mais 500 mil doses prontas da CoronaVac já estão em São Paulo

Outro carregamento com 1,5 milhão de doses é esperado para quarta-feira (30). Vacina vai para o Instituto Butantan

  • São Paulo | Do R7

Carregamento com 500 mil doses da CoronaVac chega ao aeroporto de São Paulo

Carregamento com 500 mil doses da CoronaVac chega ao aeroporto de São Paulo

Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Mais 500 mil doses prontas da CoronaVac já estão em São Paulo. O carregamento vindo da China chegou por volta de 11h30 da manhã desta segunda-feira (28) no aeroporto Internacional, em Guarulhos, na Grande São Paulo. O voo da Turkish Airlines saiu de Pequim e fez escala na Turquia.

A expectativa é para a chegada de outras 1,5 milhão de doses da vacina contra o novo coronavírus na quarta-feira (30). Com as novas entregas, o governo paulista totalizará 10,8 milhões de doses em estoque para uma vacinação em massa da população até o fim deste mês.

As doses são transportadas da fábrica da parceira do Instituto Butantan, a Sinovac Biotech, em Pequim, na China.

A CoronaVac mostrou eficácia entre 50% e 90% em testes brasileiros, disse o secretário estadual de Saúde de São Paulo. Os resultados são conhecidos exclusivamente pelo centro de pesquisas biomédicas do Butantan.

O maior lote chegou a São Paulo na quinta-feira (24), com 5,5 milhões de doses. O Butantan já trabalha no envase de 3,4 milhões de doses cujos insumos chegaram nas últimas semanas.

"Chegamos ao fim de 2020 com aproximadamente 11 milhões de vacinas em solo nacional, garantindo o compromisso do Butantan em viabilizar o imunizante para a população brasileira para que, assim que registrar pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, possa ser iniciada a vacinação", afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

O pedido de registro definitivo e autorização de uso emergencial da CoronaVac foi apresentado à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na quarta-feira (23), junto com solicitações ao órgão regulador chinês.

A Anvisa estipulou um prazo de dez dias para dar um parecer sobre o uso emergencial. Já o registro sanitário é mais demorado.

Eficácia

A CoronaVac atingiu índice de eficácia superior ao mínimo recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) e poderá ter o registro aprovado para imunização. Atendendo a um pedido da Sinovac, previsto contratualmente, o Butantan encaminhou a base primária de dados da fase 3 dos testes clínicos realizados no Brasil em 16 centros de pesquisa, com cerca de 13 mil voluntários.

O objetivo, segundo o governo, é que os dados sejam comparados a resultados de pesquisas em outros países, evitando que a vacina tenha diferentes índices de eficácia anunciados. A avaliação deverá ser concluída em até 15 dias, contados desde 23 de dezembro, podendo ser antecipada. Na sequência, os resultados finais serão encaminhados à Anvisa e à National Medical Products Administration, da China.

Últimas