Mais de 200 PMs seguem buscas por suspeitos de ataque em Botucatu

Policiais de diversos batalhões, incluindo a Rota (tropa mais letal da PM paulista), seguem atrás de supostos membros do PCC envolvidos no crime

PMs seguem busca por suspeitos de assalto

PMs seguem busca por suspeitos de assalto

Reprodução/Record TV

Mais de 200 policiais militares estão deslocados para Botucatu e região, a cerca de 250 km São Paulo, na tentativa de encontrar supostos integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) que tenha participado, na madrugada desta quinta-feira (30), do ataque a agências bancárias do município.

Segundo a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), estão nas buscas pelos PMs de sete batalhões de área, policiais do Comando de Oprações Especiais, duas unidades do Baep (Batalhões de Ações Especiais de Polícia), considerada como a "Rota do Interior", além da própria Rota (Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar), que é a tropa mais letal da polícia paulista e do comando aéreo.

Leia também: Logística e sofisticação fazem polícia de Botucatu atribuir ataque a PCC

Ainda segundo a pasta, desde quando aconteceu o crime, a polícia apreendeu sete fuzis calibre 762 e um calibre ponto 50, e uma metralhadora 9 mm. Também foi localizado e apreendido sete veículos, dois coletes à prova de bala, um rádio comunicador e malote de dinheiro que teria sido roubado de uma agência do Banco do Brasil. Os policiais ainda teriam recolhido 17 artefatos explosivos improvisados, dois cartuchos de emulsão e três granadas.

Para investigação do crime, a Delegacia Seccional de Botucatu acionou a equipe da Polícia Civil da 5ª Delegacia de Investigações sobre Furtos e Roubos a Bancos, do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), logo depois da ocorrência. O caso foi encaminhado para DIG (Delegacia de Investigações Gerais), que vai dar continuidade à apuração.

De acordo com as investigações iniciais, cerca de 30 homens participaram da ação. Durante a manhã desta quinta-feira, policiais militares e civis teriam localizado e feito um certo a um grupo com parte dos supostos criminosos. Um dos homens foi baleado e morreu. Não há informações de prisões.