São Paulo Marcola diz que 'maior medo' é que filho de 13 anos entre para o crime

Marcola diz que 'maior medo' é que filho de 13 anos entre para o crime

Apontado como líder do PCC aconselha filho e elogia a mulher ao vê-los no presídio. Polícia gravou conversas para identificar códigos

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Marcola não pode ter visitas íntimas, por isso fala com a família atrás de uma parede de vidro

Marcola não pode ter visitas íntimas, por isso fala com a família atrás de uma parede de vidro

Reprodução/Record TV

Com medo de que o filho mais novo, de 13 anos, entre para o crime, Marcos Willians Herbas Camacho, mais conhecido como Marcola, apontado pelo estado de São Paulo como líder da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), aconselha o adolescente a não usar drogas nem brincar com armas de brinquedo. "Meu maior trauma, da sua mãe e da família inteira é que você siga os meus passos", disse ele ao filho durante uma visita na prisão.

As conversas gravadas foram disponibilizadas com exclusividade ao programa Domingo Espetacular, da Record TV. A data da gravação marca o dia 12 de janeiro deste ano.

Marcola também reclama de que o adolescente tem sido rebelde e dado trabalho à mãe, já que teria de tudo, inclusive, segundo ele, uma casa com piscina. Além disso, aconselha-o a não usar drogas. "Fumar é coisa de mané, começa assim e pode te levar para o outro mundo", diz ele, referindo-se ao crime. O suposto chefe do PCC pede ainda que o filho faça mais exercícios físicos.

Além da conversa repleta de conselhos, o acusado de assalto a bancos e envolvimento com o crime organizado conversa com a mulher. À esposa, Cynthia Giglioli da Silva Camacho, com quem está casado desde 2007, diz quanto está bonita. "Reparei o batom, a roupa caiu bem, o perfume está bom", elogiou.

O presídio federal onde Marcola está não tem visita íntima, então o casal conversa apenas por telefone e uma parede de vidro blindado impede que os dois se toquem. Ainda assim, ele faz questão de se levantar, colocar a mão no vidro e beijar a esposa.

Cynthia diz ao marido que, apesar do casamento a distância, não se arrepende de nada. "Só sinto saudade de você, dos seus abraços e beijos", desabafa.

Os registros da conversa do suposto líder do PCC com a família e advogados fazem parte de uma operação da Polícia Federal que conseguiu antecipar um plano de fuga. De acordo com a investigação, a organização criminosa preparava um plano para sequestrar autoridades e trocá-las por criminosos condenados.

Últimas