Marmita envenenada: pai de menino implora por transferência

Flávio acusa pediatra de descaso no atendimento do filho, internado desde julho. Pedido por mudança foi negado e pai ainda não sabe o porquê

O menino que comeu uma marmita envenenada em Itapevi, na Grande São Paulo, continua internado no Hospital Geral de Pirajussara. Flávio, o pai, busca a transferência do filho a um hospital que tenha neurologista pediátrico para atendê-lo, mas o pedido foi negado.

“Ninguém me falou porque foi negado, não me explicaram direito. Manda a gente falar na assistência social, joga pra administração”, afirma Flávio Araújo, que acusa o pediatra do hospital de descaso no atendimento do filho.

Fábio Abraão de Araújo está internado desde 22 de julho no hospital em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Ele foi envenenado ao comer uma marmita com chumbinho, que matou dois moradores de rua.

Desde então, Fábio não consegue falar, reconhecer familiares e ainda sente dores fortes. “Hoje desde as 4h30 da manhã eu fiquei com um pano na testinha dele. A testa chega a ficar roxa”, relata Flávio.

A Delegacia de Itapevi segue investigando o caso para descobrir os responsáveis pelo envenenamento das marmitas. O laudo descarta que elas tenham sido envenenadas dentro da cozinha onde as comidas foram preparadas. A polícia considera a hipótese de vingança contra os moradores de rua que faleceram.

Pai diz estar angustiado com situação vivida pelo filho no hospital

Pai diz estar angustiado com situação vivida pelo filho no hospital

Reprodução/Record TV