São Paulo Mesmo na fase emergencial, pancadões continuam em SP

Mesmo na fase emergencial, pancadões continuam em SP

Tanto na capital, como na Grande São Paulo milhares de jovens se aglomeram nas ruas, sem máscara de proteção

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Baile funk em SP

Baile funk em SP

Reprodução/Instagram

Centenas de jovens participaram de bailes funk neste fim de semana na cidade de São Paulo e em municípios da Grande São Paulo. Imagens mostram pessoas aglomeradas, usando drogas, bebidas alcoólicas e dançando. Ninguém usa máscara de proteção ou sequer se preocupa com a pandemia.

Em Heliópolis, na zona sul da capital, o pancadão tinha até um paredão de som. Em Osasco, na Grande São Paulo, além da aglomeração e da música alta, os moradores da região precisam lidar com o barulho incessante das motos. Na Brasilândia, na zona norte paulistana, mais um baile funk que virou a noite e só terminou no dia seguinte. A mesma situação se repetiu no Jaraguá, também na zona norte: aglomeração, som alto, bebidas e drogas até o dia seguinte.

Nem parecia p primeiro fim de semana da fase emergencial em São Paulo, adotado justamente para conter aglomerações e evitar o avanço da pandemia de covid-19. São milhares de jovens nas ruas.

O baile funk de Taipas, na zona norte, vira a madrugada e não tem hora para acabar. Em Diadema, na Grande São Paulo, o que se viu foi um mar de pessoas - uma outra realidade em meio ao colapso na saúde por causa da covid-19. Em alguns momentos, quando a polícia tenta intervir, é atacada por frequentadores dos bailes clandestinos.

A Polícia Militar foi acionada para acabar com os bailes. Segundo a nota da PM, o pancadão de Heliópolis já havia se instalado e, por isso, não houve intervenção direta das equipes policiais. O policiamento foi instensificado no entorno do local para evitar a presença de novas pessoas e, depois, realizar o esvaziamento do baile.

Últimas