São Paulo Minhocão terá mais arquibancadas e bancos e novas opções de lazer

Minhocão terá mais arquibancadas e bancos e novas opções de lazer

Ao todo, serão 44 novos itens a partir deste sábado (18), divididos em arquibancadas modulares, tablados e bancos modulares

Agência Estado
 Minhocão passará a ter mais dois trechos com bancos, tablados e arquibancadas

Minhocão passará a ter mais dois trechos com bancos, tablados e arquibancadas

Divulgação Prefeitura de São Paulo

O Elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, passará a ter mais dois trechos na parte superior com bancos, tablados e arquibancadas, a partir deste sábado (18). A ampliação do mobiliário urbano está entre as medidas da Prefeitura de São Paulo para a consolidação do lazer no local, o que incluirá novos espaços de convivência em janeiro, com a possibilidade de liberação do funcionamento de food trucks.

Embora esse tipo de medida potencialize o uso como parque, o destino e a data da desativação do viaduto para veículos estão indefinidos.

A Câmara Municipal chegou a aprovar a realização de um plebiscito sobre o tema, mas nada foi anunciado após mais de um ano, enquanto o Projeto de Intervenção Urbana Minhocão segue em andamento, mas não teve novas etapas apresentadas pela Prefeitura.

O novo mobiliário estará disposto em trechos próximos da avenida Pacaembu e da rua General Jardim, que se somarão aos do Terminal Amaral Gurgel e da Praça Marechal Deodoro.

Desde maio, o Minhocão tem escadarias metálicas de acesso para pedestres. Os locais estarão sinalizados com pinturas nos canteiros centrais e laterais, em verde, amarelo e vermelho.

Ao todo, serão 44 novos itens, divididos em arquibancadas modulares, tablados (encostos colocados sobre o canteiro central) e bancos modulares. As demais estações têm 28 peças, todas de madeira e móveis, a fim de serem removidas para a liberação do tráfego de automóveis nos demais dias da semana.

"A Prefeitura entende que a crise sanitária levou a uma maior valorização dos espaços de convivência ao ar livre por parte da população e está atuando para dar uma resposta à altura dos desafios e necessidades da cidade", diz nota da gestão Ricardo Nunes (MDB).

Segundo a Prefeitura, o custo das duas novas estações foi de R$ 800 mil

Segundo a Prefeitura, o custo das duas novas estações foi de R$ 800 mil

Divulgação

Segundo a Prefeitura, o custo das duas novas estações foi de R$ 800 mil, provenientes do Fundo de Desenvolvimento Urbano (Fundurb). O elevado está aberto para pedestres e ciclistas das 7h às 22h nos fins de semana e feriados e, nos dias úteis, das 20h às 22h. Além do mobiliário, o Minhocão tem duas unidades do programa Centro Aberto, localizadas na parte inferior junto ao Terminal Amaral Gurgel e à Praça Marechal Deodoro. Elas funcionam como minipraças, com aparelhos de ginástica, bancos e mesas de piquenique.

Urbanismo tático

As iniciativas são alinhadas ao chamado "urbanismo tático", que prevê a realização de intervenções rápidas, reversíveis e flexíveis em espaços públicos, adotadas em países como Dinamarca, Espanha e Colômbia. Frequentado para fins de lazer e atividade esportiva, o Minhocão tem ganhado também a atenção de marcas que transformaram mais de 40 empenas cegas dos edifícios do entorno em murais gigantes.

Construído nos anos 1970, durante a gestão de Paulo Maluf, o Minhocão completou 50 anos em 2021 em meio a contrastes, em que as desigualdades sociais do entorno estão evidentes. A parte inferior do viaduto é um abrigo insalubre para pessoas em situação de rua, enquanto novos edifícios de classe média são lançados na vizinhança.

A desativação do tráfego de carros na parte superior está determinada no Plano Diretor, de 2014, lei que passa por um processo de revisão previsto até julho de 2022.

Últimas