São Paulo Ministério enviou medicamentos de 'kit intubação' para 12 horas, diz SP

Ministério enviou medicamentos de 'kit intubação' para 12 horas, diz SP

Secretária Estadual de Saúde emitiu nota afirmando que foram prometidas 258 mil ampolas de medicamentos, e entregues 65 mil

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Médico intuba paciente em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo

Médico intuba paciente em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo

Amanda Perobelli/Reuters - 24.03.2021

O Ministério da Saúde enviou ao estado de São Paulo medicamentos do "kit intubação" suficientes para apenas 12 horas, informou o governo paulista nesta segunda-feira (29).

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde afirma que o governo federal liberou 65.770 mil ampôlas de neurobloqueadores e anestésicos. O material corresponde a apenas 1,9% do que é preciso para atender a demanda mensal da rede pública de saúde de São Paulo, que é de de 3,5 milhões de ampolas.

O governo estadual afirmou que o Ministério da Saúde havia sinalizado a entrega de mais de 258 mil ampolas, porém a quantidade recebida representa somente 25,4% do prometido.

De acordo com a secretaria, entre os medicamentos enviados em quantidade parcial, estão atracúrio, cistracúrio e midazolan. Entretanto, São Paulo não recebeu rocurônio, que é um relaxante muscular.

Outro lado

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que "em esforço contínuo para evitar o desabastecimento de medicamentos para intubação orotraqueal (IOT) no Brasil, já garantiu mais de 2,8 milhões de unidades após diversos acordos fechados com indústrias farmacêuticas nos últimos dias".

Nesta segunda, informa o órgão, a empresa Aspen Pharma disponibilizou 13,8 mil unidades de IOT. Nos próximos dias, a empresa Farmoquímica entregará 44.890 ampolas. A remessa se junta a outros acordos firmados na semana passada.

"Diante do quantitativo de medicamentos disponível, a distribuição é feita de acordo com o Consumo Médio Mensal informado pelas Secretarias Estaduais de Saúde ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS)", diz a nota. "Assim que todas as entregas chegam aos estados e Distrito Federal, é de responsabilidade dos gestores locais a organização e distribuição dos medicamentos aos municípios, conforme as demandas.

De acordo com o ministério, no último sábado (27), a empresa MSD se comprometeu a enviar 545 mil ampolas – 470 mil unidades para os próximos 15 dias e 75 mil para os próximos 15 dias. Além disso, a empresa Aché garantiu a distribuição de mais 129 mil unidades de medicamentos para intubação, que serão entregues nos próximos sete dias.

Na última quinta-feira (25), a empresa União Química começou o envio dos medicamentos que foram acordados com o MS.

O primeiro lote, com 165 mil sedativos, de um total de 1,4 milhão de unidades, diz o ministério, chegou ao depósito de Guarulhos, na Grande São Paulo. A empresa Cristália firmou compromisso de enviar 1,2 milhão de medicamentos e a Eurofarma se comprometeu a enviar 212 mil unidades. As entregas já começaram e devem se estender ao longo dos próximos dias, segundo o órgão.

Últimas